WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
transporte ilegal
Aguarde as próximas enquetes...

:: ‘Mário Alexandre’

No jogo político, um embate desnecessário

Cacá falou em Itabuna, Alisson respondeu pelo governo em Ilhéus. Fotomontagem Blog Agravo.

Nas rodas políticas de Ilhéus, ninguém entendeu a resposta áspera do governo à entrevista do ex-vice-prefeito de Ilhéus, Cacá Colchões à rádio Nacional de Itabuna, que não teve nenhuma repercussão junto à população ilheense.

Cacá, que está afastado da política e passa os dias da semana em suas lojas em Itabuna, teve seu nome revivido e consequentemente lembrado pelos eleitores, quando o secretário Alisson Mendonça lhe rebateu no programa da manhã de maior audiência do rádio ilheense, O Tabuleiro.

Na troca de ego de quem “fez” e quem deixou de fazer, a avaliação é que o primeiro round foi insignificante.

Martelo batido! PSB vai entrar no governo de Mário Alexandre

Jailson Nascimento vai ocupar secretaria de agricultura na cota do PSB.

O PSB vai participar oficialmente do governo do prefeito Mário Alexandre. Segundo informações colhidas pelo Blog Agravo, a secretaria de Agricultura foi oferecida pelo governo e aceita pelo PSB.

O nome escolhido pelo partido para ocupar a secretaria é o do ex-vereador Jailson Nascimento, que tem o aval não só do diretório, mas dos três vereadores do PSB que compõem a base do governo no legislativo ilheense.

A entrada do PSB oficialmente no governo foi uma articulação direta do secretário de relações institucionais, Alisson Mendonça, do presidente da câmara Lukas Paiva, e dos vereadores Nino Valverde e Fabrício Nascimento.

Setores do comércio e da indústria em Ilhéus ganham investimentos de 200 milhões de reais

Área onde o Grupo Assaí será implantado em Ilhéus – Foto José Nazal.

Aproximadamente 200 milhões de reais serão injetados nos próximos meses na economia de Ilhéus, resultado de duas grandes iniciativas empresariais nos setores da indústria e do comércio. As boas perspectivas da economia local e um programa de atração de novos investimentos, idealizado pela administração municipal em parceria com o Governo do Estado, começam a surtir efeito positivo. Para além da circulação de uma significativa cifra de recursos privados, estima-se abrir cerca de 400 novos empregos diretos no município.

O processo para a construção da unidade varejista do Grupo Assaí, em Ilhéus, está em curso. De acordo com o vice-prefeito e secretário municipal de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, José Nazal Pacheco Soub, no momento a Prefeitura avalia os detalhes urbanísticos do projeto.  A rede brasileira de atacado de autosserviço, pertencente ao Grupo Pão de Açúcar, já oficializou o pedido de instalação.

Parecer – Para ser iniciada a obra de 40 milhões de reais, no KM 6 da Ba-001, entre Ilhéus e Olivença, o grupo aguarda um parecer da Superintendência de Infraestrutura e Trânsito, órgão do Governo da Bahia vinculado à Secretaria de Infraestrutura (SEINFRA), que analisa o projeto da faixa de desaceleração que ficará no domínio da rodovia. “Assim que a faixa de supressão for liberada pelo Estado, a Prefeitura vai autorizar o início da obra”, assegura Nazal.

A estimativa é de que a obra da Rede Assaí – que vai ocupar uma área de 50 mil metros quadrados – seja executada em 80 dias. Mas já a partir da licença, de acordo com José Nazal, a empresa se comprometeu a iniciar o processo de cadastramento, seleção e treinamento de colaboradores. Do total de 300 empregos diretos previsto para esta primeira etapa, apenas duas vagas serão ocupadas por colaboradores de fora da cidade. “Vamos priorizar a mão-de-obra local”, assegura o prefeito Mário Alexandre, que cuidou pessoalmente dos primeiros contatos com os empreendedores, na sede em Tatuapé, interior de São Paulo.

Na Indústria – Esta semana, a multinacional Olam (Antiga Joanes), que opera em mais de 70 países, anunciou a sua ampliação no Parque Industrial de Ilhéus. Serão 150 milhões de reais em novos investimentos que vão gerar mais 75 novos empregos diretos no município. O investimento foi oficializado em Salvador.

O protocolo de intenções assinado com o Governo da Bahia dobra a produção anual de moagem de cacau para 80 mil toneladas, serão distribuídas no Brasil e no mundo, em produtos variados como o líquor, torta, manteiga e pó de cacau.

No início deste ano, o vice-prefeito José Nazal participou da inauguração de um novo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos em Ilhéus. Um investimento de 5 milhões de reais. Na solenidade, estiveram presentes os dirigentes mundiais da indústria e o vice-governador da Bahia, João Leão.

Prefeito recebe o vereador Fabrício Nascimento e discute melhorias para Ilhéus

Durante reunião realizada, na manhã de ontem (01), no Centro Administrativo, no bairro da Conquista, o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, recebeu o vereador Fabrício Nascimento, que esteve acompanhado por assessores, para discutir assuntos relacionados à saúde e à infraestrutura do município. O encontro tem como proposta manter o diálogo entre o Executivo e o Legislativo e estabelecer um relacionamento que proporcione maiores esclarecimentos à população ilheense.

 Durante a reunião, o vereador abordou questões importantes, a exemplo do funcionamento dos postos de saúde, realização de cirurgias, necessidade de mais profissionais para o setor e outros assuntos ligados aos bairros do Malhado, Conquista, Iguape, Pontal e Morada do Porto (Banco da Vitória). Além disso, foram discutidos atividades e projetos em andamento, de acordo com as respectivas emendas parlamentares e pedidos protocolados pelo vereador.

Participaram da reunião, os secretários municipais de Saúde, Elizangela Oliveira, de Serviços Urbanos, Jorge Cunha, de Governo, Alisson Mendonça e de Administração, Bento Lima, além do administrador do bairro do Malhado, Waldelson Carlos (Set).

 Saúde – O vereador Fabrício Nascimento pediu esclarecimento acerca da infraestrutura na saúde, da melhoria da pavimentação de ruas, da iluminação pública, entre outros. Na saúde, especificamente, o edil ouviu esclarecimentos da secretária Elizangela Oliveira sobre os avanços da licitação que envolve o posto Sarah Kubitschek. Conforme disse, o secretário de Infraestrutura, Transporte e Trânsito, Hermano Fahning, assegurou a retomadas das obras o mais breve possível. “Estaremos reformando e ampliando outras unidades até o ano que vem, como os postos do Nelson Costa, da Conquista, Banco da Vitória, além de outros localizados na zona rural, a exemplo de Ponta da Tulha, Sambaituba, Castelo Novo, Pimenteira e Inema”, destacou Elizangela.   :: LEIA MAIS »

Ilhéus: Recomendação do Ministério Público pode paralisar Governo Municipal

MP pode inviabilizar os atos do governo de Mário Alexandre (foto).

A recomendação do Ministério Público para que o prefeito Mário Alexandre exonere todos os ocupantes de cargos comissionados criados pela Lei Municipal 3.863/2017, pode ocasionar um verdadeiro pandemônio administrativo, e paralisar as atividades da prefeitura de Ilhéus.

Explicamos: Caso o prefeito Mário Alexandre acate a recomendação do MP, terá que exonerar não só os cargos comissionados, mas também os secretários, sendo impossibilitado de nomear cargos de chefia, coordenação, e até mesmo os atuais e futuros convocados servidores efetivos para exercer tais funções.

Para o Ministério Público a lei 3.863/2017, a nova reforma administrativa, é inconstitucional.  Na recomendação, a promotora aponta que a norma municipal não “dispõe em seu texto acerca das atribuições” dos cargos comissionados.

Mas na lei está explícito que o detalhamento das atribuições das Secretarias será objeto de regulamentação por decreto do prefeito, que deverá ser editado no prazo de 90 (noventa) dias, a partir da publicação da lei.

Para alguns prepostos da prefeitura ouvidos pelo Blog Agravo, a partir do momento que foi aprovada a nova lei da reforma administrativa, a lei anterior foi revogada, a recomendação do MP tornaria todos os atos administrativos atuais passíveis de nulidade, por que não haveria respaldo legal.

Com toda exposição acima, os próximos dias serão de muito debate jurídico, administrativo, e claro, de muita polêmica.

Santa Casa de Ilhéus vai reestruturar hotelaria do Hospital São José e da Maternidade Santa Helena

Prefeito com Eusinio Gesteira, secretária municipal da Saúde, Elizângela Oliveira, e o vereador Gil Gomes.

A Santa Casa de Misericórdia de Ilhéus obteve empréstimo junto à Caixa para investir na reestruturação da hotelaria do Hospital São José e Maternidade Santa Helena e quitar dívidas antigas com fornecedores. Hoje (4), o provedor Eusínio Lavigne garantiu que a operação só foi possível, graças a decisiva participação do prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, e da secretária municipal da Saúde, Elizângela Oliveira.

Os recursos liberados foram obtidos através da linha de crédito “Caixa Hospitais”, destinada às entidades filantrópicas. Como o desconto da prestação será feito na fonte, ou seja, o dinheiro nem passará pelas mãos dos gestores da Santa Casa, por isso era preciso ter uma autorização do prefeito – já que no município a saúde é municipalizada – para a consolidação da operação bancária. “Eles deu a declaração, mostrando o seu perfil de gestor que quer o bem da cidade e de suas instituições”, disse Eusínio.

Ajuda decisiva – Em nota, a direção da Santa Casa elogiou a postura do prefeito Mário Alexandre em permitir o empréstimo para obter recursos para melhorar os serviços médico-hospitalares das duas unidades. De acordo com a direção da Santa Casa, 80 por cento dos leitos do hospital e da maternidade, são disponibilizados para a saúde pública, através do Sistema Único de Saúde (SUS).

Por mês, a Santa Casa realiza, em média, 300 partos, 2.435 atendimentos de Pronto Socorro e 2.796 atendimentos ambulatoriais. São, também, realizadas 418 cirurgias e 718 Pacientes são internados nos seus leitos. “Com a liberação de recursos através do “Caixa Hospitais”, a Santa Casa obteve crédito para continuar prestando serviços de qualidade à população, aproveitando vantagens oferecidas com prazos e taxas especiais”, afirmou Mário Alexandre.

Câmara aprova projeto de lei que muda estrutura administrativa da prefeitura de Ilhéus

Câmara plenário.

A Câmara de Vereadores aprovou na sessão desta terça-feira (23) a Lei N° 40/2017, elaborada pela Prefeitura de Ilhéus. A lei dispõe sobre a nova estrutura organizacional do Executivo, revogando a lei nº 3.813 de 2016. O objetivo é adequar a estrutura administrativa com o orçamento e planejamento traçados pela nova gestão bem como corrigir erros pontuais que existiam na antiga lei.

No projeto são observadas todas as funções exercidas pelos profissionais do quadro da Prefeitura de Ilhéus, distribuindo todo sistema administrativo de acordo com funções de assessoramento, sistêmicas, finalistas, descentralizadas, alcançando também os órgãos colegiados.

O projeto do teve um voto contra, o do vereador Makrisi Sá (PT). A nova lei passa a vigorar a partir da sanção do prefeito Mário Alexandre.

Mário Alexandre encaminha nova reforma administrativa para Câmara de Vereadores

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, encaminhou na última quarta-feira (26) o projeto de Lei Nº 40/2017, que propõe uma nova reforma administrativa na prefeitura de Ilhéus.

Na quarta-feira o projeto foi colocado para leitura no plenário e encaminhado para a comissão de justiça para ser analisado.

Alguns vereadores criticaram a falta da Secretaria de esporte, que vai continuar como diretoria, subordinada à outra pasta.

Segundo levantamento feito pelo Blog Agravo, a nova reforma vai ocasionar um crescimento R$ 300 mil reais/mês na folha de pagamento, comparado a gestão do ex-prefeito Jabes Ribeiro.

Juntamente com a reforma, chegou à Câmara outro projeto de Lei, que pede uma suplementação em mais de 20 milhões de reais.

Os dois projetos devem começar a ser analisados pelo plenário nesta terça-feira (02).

Prefeito de Ilhéus e deputada agilizam providências junto ao Governo da Bahia

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, acompanhado da deputada estadual Ângela Sousa, tiveram hoje, 26, uma audiência com o vice-governador e secretário estadual do Planejamento, João Leão, no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador.

Na oportunidade, Mário Alexandre tratou de questões referentes à duplicação da BR-415, que liga as cidades de Ilhéus e Itabuna, além da implantação da Ferrovia de Integração Leste-Oeste (Fiol) e do Porto Sul, cujas obras promoverão a interiorização do desenvolvimento do estado, fortalecendo a economia da região cacaueira, especialmente o município de Ilhéus, com o fomento e criação de mais emprego e renda para a população.

Busca permanente de novos investimentos

A viagem faz parte do planejamento da atual gestão, cujo calendário prevê encontros e reuniões com secretarias e órgãos do Governo da Bahia a fim de agilizar providências quanto à busca e liberação de recursos para importantes obras no município. “A luta pela captação ou liberação de verbas para obras e ações que impactarão a cidade de Ilhéus, de forma positiva, é minha missão diuturna nas viagens a Salvador ou Brasília e, quando temos a presença de defensores do município, como a deputada estadual Ângela Sousa, o acesso se torna mais fácil e a segurança em ter os pleitos atendidos é muito maior”, afirmou o prefeito. :: LEIA MAIS »

Trânsito desorganizado em Ilhéus gera caos

A situação dos semáforos quebrados vem ocasionando problemas sérios no trânsito de Ilhéus, e os motoristas tentam adivinhar de quem é a preferência nas vias.

Na manhã desta quarta-feira (05), quase flagramos um acidente na Av. Petrobras. Não é de agora que a empresa GCT, responsável pelas multas e semáforos em Ilhéus, vem prestando um desserviço ao município.

Ela vem desde o governo Newton Lima, sobreviveu à administração Jabista, e se mantém na atual gestão de Mário Alexandre.

Engarrafamento sentido zona sul, Av. Lomanto Junior. Foto de Edval Santana.

Além do problema dos semáforos, a “genialidade” de prepostos da prefeitura de Ilhéus em asfaltar em horário de pico a recém-criada rotatória da Zona Sul, ocasionou um verdadeiro caos aos motoristas. O congestionamento chegou até a Praça Cairú, centro da cidade.

Por meio das redes sociais, o vice-prefeito José Nazal entendeu a reclamação dos ilheenses, e em nome do governo pediu desculpas pelo ocorrido. “Fica aqui meu pedido pessoal de desculpa pelo ocorrido, mesmo não tendo culpa direta pela decisão, mas entendo também ser responsável por ser gestor”, disse Nazal.

Ilhéus: Prefeito Mário Alexandre solicita melhorias no transporte coletivo

Reunião o prefeito Mário Alexandre pediu a adoção de providências visando melhorias na prestação do serviço de transporte público à população – Foto Clodoaldo Ribeiro.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, esteve reunido, na tarde de quinta-feira, 30, com diretores das empresas concessionárias do transporte coletivo no município, Josemir Dias Sobrinho, da Viação São Miguel, e Carlos Bahia, da Viametro, e pediu a adoção de providências visando melhorias na prestação do serviço de transporte público à população. O encontro contou com a presença do secretário de Indústria e Comércio, Paulo Sérgio dos Santos.

Na ocasião, o prefeito solicitou o aumento das linhas de ônibus para atender a demanda de toda a cidade e a modernização da frota atual, inclusive com veículos dotados de ar condicionado. E ressaltou que essas questões de melhor estruturação do serviço representam uma reivindicação antiga da comunidade ilheense.

O prefeito ainda tratou sobre a possibilidade de implementar o sistema de transbordo, que poderá melhor atender às necessidades da população que utiliza o transporte público. A princípio, Mário Alexandre solicitou a elaboração de um estudo técnico da situação da frota dos ônibus, na maior brevidade de tempo possível, para que se possa adequar o serviço à demanda da sociedade.

Ele pontuou que faz parte do projeto do governo municipal manter a ação permanente de melhoria nos acessos às comunidades rurais, através das estradas vicinais. “Com as melhorias nessas estradas, podemos ampliar a extensão das linhas de ônibus para os distritos”, acrescentou.

Prefeitura de Ilhéus explica valores do contrato transporte escolar

O secretário de Administração, Bento Lima, considera que a licitação trouxe diversas vantagens para a municipalidade – Foto Clodoaldo Ribeiro.

Na ultima terça-feira (14) o Blog Agravo trouxe com exclusividade o valor do contrato do transporte escolar no governo de Mário Alexandre, fazendo um comparativo com o mesmo serviço no ex- governo do prefeito Jabes Ribeiro. ( Clique aqui para ler)

A empresa Dzset Transporte e Logística Ltda-Me foi contratada no valor de R$ 5.523.000,00 (cinco milhões e quinhentos e vinte três mil reais), bem acima do contrato do governo anterior.

O Blog Agravo questionou os valores, e na última quarta-feira 16, a prefeitura de Ilhéus convocou uma coletiva com a imprensa para explicar e fazer o comparativo dos contratos, presente e anterior.

A secretaria municipal de Educação informou que o transporte e a merenda escolar são prioridades como parte da estratégia do governo para oferecer um ensino de qualidade. Para isso, a prefeitura realizou uma licitação para contratação de empresa de transporte escolar, que já está atendendo à população estudantil da extensa zona rural de Ilhéus. A vencedora, DZ7, tem experiência comprovada no segmento, com prestação de serviços em diversos municípios baianos e também para o Governo do Estado.

O novo contrato prevê o pleno atendimento a 26 linhas, contra apenas 11 linhas que vinham sendo contempladas pelo serviço, até o final de 2016, além de um melhor padrão de serviços, mais condizentes com a estratégia educacional desenhada pela nova gestão, para aperfeiçoar o sistema e atender bem aos cidadãos. O atual contrato impede, também, a substituição de ônibus, micro-ônibus e vans, por kombis, por exemplo, prática que vinha se repetindo, devido à falta de controle e de fiscalização sobre os serviços executados.

O secretário de Administração, Bento Lima, considera que a licitação trouxe diversas vantagens para a municipalidade, como a diminuição de custos e a importância de aspectos que impeçam a repetição de irregularidades como algumas levantadas pela Controladoria Geral da União – CGU, ao auditar a licitação e o contrato dos serviços de transporte escolar, realizados pelo governo anterior. “A Prefeitura pagará por quilômetro rodado, abolindo o pagamento por diária do serviço, como vinha acontecendo”, explica Bento.

Para definição dos preços foram consideradas as condições das estradas em cada rota, o que resulta em valores diferentes pelo serviço. “Assim, evitamos a possibilidade de alteração do pagamento por uma linha mais extensa, quando o serviço é prestado numa linha menor. Na prática, a nova contratação, no valor de 5,5 milhões de reais, atende a mais do que o dobro de linhas que vinham sendo praticadas, a um custo relativamente menor. Caso fosse aplicado aos serviços prestados atualmente, o previsto no contrato vencido, o município estaria pagando até 660 mil reais, por mês, ao passo que pelo contrato e preços atuais esse teto não ultrapassará 435 mil reais, com uma diferença de 225 mil reais”, explica o secretário.

Ao mesmo tempo, a Prefeitura de Ilhéus está recuperando a frota própria de ônibus escolares, num total de 17 veículos, para reutilização do transporte de estudantes. Segundo a secretária Eliane da Silva, ao assumir a Secretaria de Educação, encontrou a frota inoperante, com todos os ônibus do programa Caminho da Escola sem condições de uso, devido a falta de manutenção. Desde então, a Prefeitura já recolocou oito veículos em condições de uso, e prevê que mais três poderão entrar em funcionamento até a próxima semana, com a possibilidade de toda a frota própria esteja rodando até o final de abril. “Infelizmente, pelos nossos levantamentos, dois ônibus são irrecuperáveis, devido ao péssimo estado de conservação, haja vista que o custo elevado inviabiliza tal recuperação. É lamentável, porque quanto mais ônibus próprios para atender à demanda, menos terceirizados prestando os serviços e, consequentemente, menor despesa para o município”, disse Eliane.

Existe um jogo político e econômico para acabar com o porto de Ilhéus

Por Jamesson Araújo

Porto do Malhado/Ilhéus. Foto de Jamesson Araújo.

Nos últimos 20 dias, o porto de Ilhéus foi pauta de três grandes reuniões da sociedade civil organizada, abordando o seu sucateamento supostamente proposital, por parte da sua administradora estadual, no caso a Companhia de Docas da Bahia (Codeba).

Atualmente, o terminal marítimo ilheense tem um déficit vertiginoso de entradas e saídas de navios, em comparação com alguns anos anteriores. Uma das maiores preocupações de todos os trabalhadores e representantes de órgãos ligados à questão portuária, é em relação à dragagem que deve ser feita no local, para que as embarcações possam atracar sem maiores problemas.

Para alguns sindicatos que formam uma comissão em prol do porto, existe uma manobra política para sucateamento proposital do porto do Malhado, visando favorecer o porto de Aratu, em Salvador.

“Tudo que é feito para o porto de Ilhéus é de má vontade. Ficamos sabendo que a prioridade da Codeba é sempre o porto de Aratu”, afirmou o presidente do Sindicato dos Estivadores de Ilhéus, Geraldo Assunção.

Já outros sindicalistas são mais diretos, e afirmam que existe uma manobra da empresa Intermarítima, e do senador Otto Alencar (PSD), para desconstrução do porto de Ilhéus, objetivando conseguir uma concessão por meio de uma privatização.

Um levantamento feito pela comissão mostra que o calado do porto de Ilhéus é de 9.3 metros, e do jeito que caminha, já em 2018, dificilmente um navio conseguirá atracar.

Segundo China, secretário do Sindicato dos Portuários, há mais de 20 anos não é realizada uma dragagem de aprofundamento, e que a diminuição do calado, está inviabilizando a operação de cargas, tornando o porto mais caro, sendo que os navios têm que sair sublocados, ou seja, com metade das cargas.

O problema do calado, de acordo com China, pode atrapalhar até a atracação de navios de turistas. “Em períodos de maré baixa, os navios de turismo, que não requerem um grande calado, quando saem levantam lama, tocando no chão. Para a próxima temporada, já haverá navios que não conseguirão mais atracar por causa do calado, e, devido a isso, estão saindo da rota”, salientou.

Durante essas reuniões, algumas informações chegaram a chocar os convidados, entre elas a de que muitas fábricas que estão no polo industrial de Ilhéus estão despachando seus produtos pelo porto de Aratu. Outra é de que não há nenhuma movimentação por parte do governo municipal para fortalecer o porto.

Sindicalistas lembraram como exemplo comparativo, a luta da prefeitura de Santos/SP, para fortalecer seu porto, que é grande gerador de receitas ao município.

“É fácil você ver nos corredores de Brasília, o prefeito de Santos correndo atrás de investimentos para o porto da cidade, e fechando parcerias empresariais”, desabafou um dos sindicalistas.

Mesmo que o porto de Ilhéus seja administrado pelo estado, ele primeiramente é do município, está instalado no município, e é um vetor econômico que poucas cidades litorâneas do mundo possuem. O que o governo municipal está esperando para entrar nessa briga?

Em fevereiro, trouxemos uma matéria com a explanação do consultor portuário, Libério Menezes, classificando a situação do porto como complicada. Na ocasião, ele afirmou que o terminal local tem todas as condições de seguir como fonte de receitas para o município, e ampliar muito os números, “bastando que haja interferências positivas por parte das autoridades competentes, para melhorias tanto na parte da infraestrutura, e, em mesmo grau, nos avanços das questões comerciais”.

Para ilustrar a importância de tal situação, Menezes citou que a chegada de um navio cargueiro, com 15 mil toneladas de cacau, gera mais dividendos ao município, do que todos os transatlânticos em uma temporada.

Em nosso entendimento, depois de ouvir sindicalistas e especialistas portuários, chegamos à conclusão de que há, sem dúvidas, um jogo político e econômico para acabar com o porto de Ilhéus!

Cabe aos nossos representantes políticos tomar providências imediatas. Pelo menos é o que se espera de pessoas eleitas democraticamente para representar Ilhéus e os seus interesses.

Invasão jabista no governo Marão

Editorial do Blog Agravo

Apesar de ter apenas dois meses de mandato, cedo para avaliações, o atual gestor ilheense, Mário Alexandre, precisa acordar do êxtase eleitoral.

O prefeito deve estar atento ao número de jabistas em seu governo, em pontos estratégicos, a exemplo da Saúde, Educação, Assistência Social, setor de licitação, e Infraestrutura.

Com o discurso de que “depois da reforma administrativa acomodará os aliados”, o governo ainda não encaminhou o projeto de lei para o legislativo. O mais grave, existem pessoas sem ter sido nomeadas, falando em nome do governo.

O certo é que a atual gestão municipal continua com o corpo do governo de Jabes Ribeiro. Figuras que tinham esquema no jabismo, continuam dando as cartas no novo governo.

A exemplo da fábrica de Asfalto, que apesar de ter sido adquirida com recursos próprios da prefeitura, foi terceirizada a uma empresa privada com raízes jabistas. O ex-governo dava a desculpa de que não tinha nenhum servidor treinado para manusear a fábrica.

Qual será a justificativa do atual Governo?

setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia