WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
prefeitura ilheus transporte ilegal

:: ‘Ilhéus’

Prefeitura nomeia aprovados no concurso

Foto – Arquivo de Internet

:: LEIA MAIS »

Comerciante é sequestrado em Ilhéus.

O proprietário da Casa da Segurança, localizada em frente à agência dos Correio, Gilmar Borges da Silva , teve seu veículo  roubado na Cidade Nova, por volta das 20:30h , da quarta-feira  (16). O automóvel de placa policial PJA – 1538, Ilhéus, modelo Fiesta Hatch, cor prata, foi tomado de assalto por homens armados. O dono do veículo foi abandonado em Lagoa Encantada e o boletim de ocorrência feito na 7ª COORPIN. Gilmar além de ser muito conhecido em Ilhéus é irmão do ex-vereador e presidente do Colo-Colo de Futebol e Regatas, Raimundo Borges.

TEXTO: THIAGO RAPOSO , RADIALISTA , DRT : 6733.

Policia Federal deflagra operação em Ilhéus

Na manhã desta quinta-feira (16) a Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação em Ilhéus e região contra o contrabando de cigarro. Segundo informações, um homem de prenome “Miro” foi preso, suspeito de comandar o contrabando de cigarro na região.  Oito agentes da PF fizeram busca e apreensão numa residência no bairro Jardim Savóia nas primeiras horas desta manhã.

Através desta ação, a PF cumpre 11 mandados de prisão preventiva e 32 mandados de busca e apreensão nas cidades de Ilhéus, Itabuna, Ubaitaba, Jequié, Itapetinga e Teixeira de Freitas. Além de coibir os crimes de contrabando de cigarro, a operação visa reprimir o crime de lavagem de dinheiro praticados por uma organização criminosa.

As investigações duraram cerca um ano, e começaram depois da prisão em flagrante de alguns integrantes do grupo. Durante as investigações foram feitas diversas apreensões, totalizando mais de 1 milhão de maços de cigarros apreendidos, das mais variadas marcas. Os investigados responderão pelos crimes previstos nos artigos 334 do Código Penal (Contrabando), 2º da Lei n. 12.850/13 (Organização Criminosa) e 1º da Lei n. 9.613/98 (Lavagem de Dinheiro).

Prefeitura de Ilhéus notifica empresa responsável pela iluminação pública

A Prefeitura de Ilhéus, através da Secretaria de Serviços Urbanos (Secsurb), notificou, ontem, 14, a empresa terceirizada responsável pela prestação de serviços de iluminação, para que tome as providências no sentido de atender todas as ordens de serviço expedidas, no prazo de 15 dias, sob pena de serem aplicadas as multas contratuais previstas. Durante reunião mantida com os representantes da empresa, o secretário Jorge Cunha ratificou que o parque luminotécnico municipal se encontra com diversos pontos apagados e inúmeras ordens de serviço (OS) não foram atendidas, gerando prejuízo à população.

De acordo com o secretário, o reparo, substituição ou reposição de lâmpadas, reatores, bases, fotocélulas e braços de iluminação dos postes da rede baixa de energia elétrica, bem como a manutenção e extensão da rede, fazem parte dos serviços cobertos pela empresa contratada. A atitude demonstra a seriedade da gestão municipal com a fiscalização dos contratos e qualidade dos serviços públicos prestados.

Na reunião, foi discutido um plano de ação e cronograma de serviços a partir do zoneamento da cidade. “Se antes o trabalho era pontual a partir das demandas, agora a proatividade das equipes passou a resolver questões de forma regionalizada, através dos bairros de uma mesma área da cidade”, afirmou o secretário Jorge Cunha. A proposta é promover um serviço de manutenção mais eficiente na cidade nas próximas semanas, garantindo melhor iluminação pública em pontos críticos da zona urbana do município.

Governo de Marão vai gastar 5 milhões e meio com empresa privada no transporte escolar

Prefeitura de Ilhéus possui 22 ônibus escolares.

Entra e sai governo, e o transporte escolar municipal continua sendo grande parte terceirizado, com contratos milionários, mesmo Ilhéus possuindo uma frota de 22 ônibus próprios.

Na última sexta-feira (10), a prefeitura municipal de Ilhéus publicou no diário oficial, o extrato do contrato para o transporte escolar com a empresa Dzset Transporte e Logística Ltda-Me, no valor de R$ 5.523.000,00 ( Cinco Milhões e quinhetos  e vinte três mil reais).

A empresa Dzset tem sua sede no município de Una, e terá o contrato vigente de 03/02/2017 a 03/02/2018, com recebimento mensal de R$ 465.250,00 ( quatrocentos e sessenta e cinco mil e duzentos e cinquenta reais).

O Blog Agravo fez um levantamento onde mostra que o valor dobrou comparado ao ano de 2016, quando o ex- governo Jabista gastou R$ 677.000,00 no período de três meses de contrato no transporte escolar, que dá uma média de  R$  225.666,00 mensais.

É importante lembrar que o transporte escolar do governo Jabista é alvo de investigações por parte de órgãos federais.

Vale relembrar que a pauta Transporte escolar foi alvo de várias matérias investigativas do Blog Agravo, que mostrou ônibus novos, de propriedade do município, totalmente abandonados, enquanto a prefeitura gastava milhões com a terceirização de ônibus, na maioria das vezes sem condições de uso. ( Clique aqui para ler )

Projeto de Juarez Barbosa visa impedir inauguração de obras públicas inacabadas

O vereador Juarez Barbosa apresentou à Câmara Municipal de Ilhéus (CMI) o projeto de lei nº 003/2017  que proíbe a inauguração de obras públicas incompletas no município de Ilhéus. Em sua essência, o projeto veta qualquer tipo de solenidade, cerimônia ou qualquer ato de inauguração de obras públicas incompletas ou que não possam entrar em funcionamento completo.

De acordo com o projeto, entende-se por incompleta a obra que não tenham concluídas todas as etapas de construção e especificações técnicas previstas em seu projeto. Já uma obra que não pode entrar em funcionamento imediato é aquela que, apesar de ter todas as etapas previstas em seu projeto concluídas, não pode entrar em funcionamento por algum fator legal impeditivo.

De acordo com o vereador Juarez, “inaugurar obras inacabadas é uma conduta totalmente desrespeitosa ao cidadão, pois o mesmo acredita que o equipamento inaugurado seja ele uma creche, escola ou posto de saúde estará disponível para uma plena utilização, o que de fato, não ocorre”.

 O projeto foi aprovado por unanimidade na CMI e encaminhado para a Comissão de Justiça da casa. A comissão deve divulgar o seu parecer na Câmara que, por sua vez, realizará uma segunda votação. Sendo aprovado,  será encaminhado para o Executivo e sancionado pelo Prefeito Mário Alexandre.

Ilhéus poderá gerir o aterro sanitário da cidade

Depois de 17 anos, o Município de Ilhéus poderá gerir o Aterro Sanitário de Itariri, situado na rodovia BA-262, que liga a cidade a Uruçuca. Isso é o que foi abordado em reunião na quinta-feira, 9, entre o prefeito de Ilhéus, Mario Alexandre, o vice e secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável (Seplandes), José Nazal Soub, e o diretor de Manejo de Resíduos Sólidos e das Águas Pluviais Urbanas, órgão ligado à secretaria estadual de Desenvolvimento Urbano, Fabio Lucena.

O acordo visa restabelecer a gerência do processo, já que não é competência da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) administrar o espaço, como vem ocorrendo atualmente. O órgão estadual pode financiar e construir, mas não pode gerir o aterro sanitário, como vinha sendo feito, para Ilhéus e Uruçuca, desde o ano 2000. Com o ajuste, o Município de Ilhéus ficará responsável pela gestão, cujo aval também já foi dado pela cidade de Uruçuca. A capacidade do local abriga normalmente a arrecadação de lixo dos dois municípios.

Nas próximas semanas, será desenvolvido um cronograma com todas as obrigações necessárias para se oficializar a transferência regular e formal da responsabilidade pela gestão do espaço. Para tanto, o Estado da Bahia conduzirá o assunto de forma legal, com a devida assistência do Ministério Público, para a correta chancela da cessão. Até a conclusão do processo a gestão continua sendo feita pela Conder, através da empresa Montanha. :: LEIA MAIS »

Lukas Paiva reivindica melhorias para o distrito de Inema

Na última sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Ilhéus realizada na terça-feira (07), o presidente do Legislativo, Lukas Paiva fez um apelo ao executivo municipal, pedindo uma atenção ao distrito de Inema.

De acordo com o presidente da casa, Inema, que fica a 100km de distância de Ilhéus, é uma localidade esquecida pelos gestores. A comunidade tem sofrido com a falta de energia elétrica e de recolhimento de lixo.

Para Lukas, ” As pessoas que moram em Inema merecem todo respeito, sou a favor do governo, mas meu dever é cobrar melhorias para todos os cidadãos de Ilhéus”. Ainda de acordo com Lukas Paiva, é necessário honrar o papel de legislador, trabalhando para honrar os votos recebidos e lutando para atender as demandas da população.

Prefeitura de Ilhéus faz auditoria na lista do ‘Minha Casa Minha Vida’ do Teotônio Vilela e Rio Cachoeira

Conjunto Habitacional Vilela, localizado no bairro Teotônio Vilela. Foto Clodoaldo Ribeiro.

A Prefeitura de Ilhéus, através da secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), está realizando auditoria nos dossiês dos possíveis beneficiários do “Programa Minha, Minha Vida”, dos conjuntos Residencial Rio Cachoeira, situado no Banco da Vitória, e Habitacional Vilela, localizado no bairro Teotônio Vilela. A medida visa apurar as diversas denúncias de irregularidades recebidas pelo setor de Habitação da SDS.

No início da gestão, o prefeito Mário Alexandre ordenou que os dossiês já enviados para a Caixa Econômica Federal passassem por uma auditoria de toda documentação. De acordo com o coordenador do setor de Habitação da secretaria, Welder Santos, a equipe está trabalhando de forma célere e analisando todos os dossiês com base nos critérios de avaliação do Ministério das Cidades. “Quem tem o perfil e se enquadra nos critérios continuará na lista”, afirmou.

Após auditoria, a lista será publicada no Diário Oficial do Município, disponível para acesso no site oficial da prefeitura de Ilhéus, através do endereço eletrônico www.ilheus.ba.gov.br. Os possíveis beneficiários, quando convocados, deverão comparecer ao setor de Habitação para comprovar sua situação, sob pena de exclusão da lista. :: LEIA MAIS »

Existe um jogo político e econômico para acabar com o porto de Ilhéus

Por Jamesson Araújo

Porto do Malhado/Ilhéus. Foto de Jamesson Araújo.

Nos últimos 20 dias, o porto de Ilhéus foi pauta de três grandes reuniões da sociedade civil organizada, abordando o seu sucateamento supostamente proposital, por parte da sua administradora estadual, no caso a Companhia de Docas da Bahia (Codeba).

Atualmente, o terminal marítimo ilheense tem um déficit vertiginoso de entradas e saídas de navios, em comparação com alguns anos anteriores. Uma das maiores preocupações de todos os trabalhadores e representantes de órgãos ligados à questão portuária, é em relação à dragagem que deve ser feita no local, para que as embarcações possam atracar sem maiores problemas.

Para alguns sindicatos que formam uma comissão em prol do porto, existe uma manobra política para sucateamento proposital do porto do Malhado, visando favorecer o porto de Aratu, em Salvador.

“Tudo que é feito para o porto de Ilhéus é de má vontade. Ficamos sabendo que a prioridade da Codeba é sempre o porto de Aratu”, afirmou o presidente do Sindicato dos Estivadores de Ilhéus, Geraldo Assunção.

Já outros sindicalistas são mais diretos, e afirmam que existe uma manobra da empresa Intermarítima, e do senador Otto Alencar (PSD), para desconstrução do porto de Ilhéus, objetivando conseguir uma concessão por meio de uma privatização.

Um levantamento feito pela comissão mostra que o calado do porto de Ilhéus é de 9.3 metros, e do jeito que caminha, já em 2018, dificilmente um navio conseguirá atracar.

Segundo China, secretário do Sindicato dos Portuários, há mais de 20 anos não é realizada uma dragagem de aprofundamento, e que a diminuição do calado, está inviabilizando a operação de cargas, tornando o porto mais caro, sendo que os navios têm que sair sublocados, ou seja, com metade das cargas.

O problema do calado, de acordo com China, pode atrapalhar até a atracação de navios de turistas. “Em períodos de maré baixa, os navios de turismo, que não requerem um grande calado, quando saem levantam lama, tocando no chão. Para a próxima temporada, já haverá navios que não conseguirão mais atracar por causa do calado, e, devido a isso, estão saindo da rota”, salientou.

Durante essas reuniões, algumas informações chegaram a chocar os convidados, entre elas a de que muitas fábricas que estão no polo industrial de Ilhéus estão despachando seus produtos pelo porto de Aratu. Outra é de que não há nenhuma movimentação por parte do governo municipal para fortalecer o porto.

Sindicalistas lembraram como exemplo comparativo, a luta da prefeitura de Santos/SP, para fortalecer seu porto, que é grande gerador de receitas ao município.

“É fácil você ver nos corredores de Brasília, o prefeito de Santos correndo atrás de investimentos para o porto da cidade, e fechando parcerias empresariais”, desabafou um dos sindicalistas.

Mesmo que o porto de Ilhéus seja administrado pelo estado, ele primeiramente é do município, está instalado no município, e é um vetor econômico que poucas cidades litorâneas do mundo possuem. O que o governo municipal está esperando para entrar nessa briga?

Em fevereiro, trouxemos uma matéria com a explanação do consultor portuário, Libério Menezes, classificando a situação do porto como complicada. Na ocasião, ele afirmou que o terminal local tem todas as condições de seguir como fonte de receitas para o município, e ampliar muito os números, “bastando que haja interferências positivas por parte das autoridades competentes, para melhorias tanto na parte da infraestrutura, e, em mesmo grau, nos avanços das questões comerciais”.

Para ilustrar a importância de tal situação, Menezes citou que a chegada de um navio cargueiro, com 15 mil toneladas de cacau, gera mais dividendos ao município, do que todos os transatlânticos em uma temporada.

Em nosso entendimento, depois de ouvir sindicalistas e especialistas portuários, chegamos à conclusão de que há, sem dúvidas, um jogo político e econômico para acabar com o porto de Ilhéus!

Cabe aos nossos representantes políticos tomar providências imediatas. Pelo menos é o que se espera de pessoas eleitas democraticamente para representar Ilhéus e os seus interesses.

Invasão jabista no governo Marão

Editorial do Blog Agravo

Apesar de ter apenas dois meses de mandato, cedo para avaliações, o atual gestor ilheense, Mário Alexandre, precisa acordar do êxtase eleitoral.

O prefeito deve estar atento ao número de jabistas em seu governo, em pontos estratégicos, a exemplo da Saúde, Educação, Assistência Social, setor de licitação, e Infraestrutura.

Com o discurso de que “depois da reforma administrativa acomodará os aliados”, o governo ainda não encaminhou o projeto de lei para o legislativo. O mais grave, existem pessoas sem ter sido nomeadas, falando em nome do governo.

O certo é que a atual gestão municipal continua com o corpo do governo de Jabes Ribeiro. Figuras que tinham esquema no jabismo, continuam dando as cartas no novo governo.

A exemplo da fábrica de Asfalto, que apesar de ter sido adquirida com recursos próprios da prefeitura, foi terceirizada a uma empresa privada com raízes jabistas. O ex-governo dava a desculpa de que não tinha nenhum servidor treinado para manusear a fábrica.

Qual será a justificativa do atual Governo?

Prefeitura atendeu áreas afetadas por fortes chuvas em Ilhéus

As fortes chuvas que caíram na tarde da terça-feira, 28, causaram estragos em alguns pontos da cidade de Ilhéus. Na comunidade Alto do Coqueiro, no bairro Malhado, zona norte da cidade, parte da escadaria que dá acesso ao local desabou. No bairro Banco da Vitória, situado na Rodovia Jorge Amado (BR-415), um alagamento acabou invadindo uma residência da região. Já na Rua Café Filho, no bairro Conquista, houve deslizamento e queda de uma casa. As ocorrências não deixaram vítimas.

O dia 28 começou com muita chuva no município. Pluviômetros instalados na cidade registraram 60 milímetros de água no período. No caso do desabamento da escadaria no Alto do Coqueiro, a Defesa Civil do município foi acionada e notificou duas famílias com moradias comprometidas próximas ao local, orientando-as a procurar abrigo temporário em casa de amigos ou parentes, enquanto outras possíveis providências possam ser adotadas.

Segundo o secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Trânsito, Hermano Fahning, a área da escadaria já se encontra devidamente isolada, neutralizando, assim, prováveis riscos aos moradores da região. “Os demais pontos de acesso ao Alto do Coqueiro permanecem estáveis e devem ser utilizados pela população que transita no local”, completou.

No bairro Banco da Vitória, que teve uma casa invadida pelo acúmulo da chuva, a ação realizada pela Secretaria de Serviços Urbanos (Secsurb), controlou e drenou o alagamento, com a viabilização de redes provisórias para escoamento da água. De acordo com o secretário Jorge Cunha, “a medida emergencial para controlar o alagamento foi feita com ajuda de uma máquina retroescavadeira, deslocada para o bairro a fim de executar o serviço”.

Já a queda de uma residência na Rua Café Filho, no bairro Conquista, obstruiu parte da via, mas não atrapalha o trânsito na região. Duas pessoas residiam no imóvel, mas ninguém ficou ferido.

Defesa Civil – No caso de situações de risco, a população deve informar à Comissão Defesa Civil, através dos telefones de emergência (73) 3234-3597 e 98895-8633. O órgão funciona em regime de plantão 24 horas, todos os dias da semana.

Ilhéus: Imagens aéreas mostram Hospital do Cacau praticamente pronto

As obras de construção do Hospital Regional da Costa do Cacau, em Ilhéus, seguem em ritmo acelerado. Imagens aéreas feitas por Jorge Reis Drones, mostram o hospital praticamente pronto.

A unidade hospitalar, que terá 180 leitos já na primeira fase, deve ser entrega ainda no primeiro semestre de 2017. Do total de leitos, 30 serão de terapia intensiva (UTI).

Segundo o Governo do Estado, a unidade contará com equipamentos modernos e ofertará atendimento em ortopedia, cardiologia, dentre outras especialidades.

O investimento para a construção do hospital é de cerca de R$ 80 milhões.

Confira o vídeo:

Fiscalização do Cremeb detecta problemas estruturais no Hospital Regional de Ilhéus

Foto divulgação Cremeb/Bahia

Os problemas estruturais que compõem o cenário de grande parte das unidades de saúde pública na Bahia não fazem do Hospital Regional Luiz Viana Filho (HRI), em Ilhéus, uma exceção. A fiscalização realizada pelo Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb), através do médico fiscal Ildo Simões, constatou algumas inconformidades, tanto na estrutura física, como no preenchimento do quadro de plantonistas. O setor de urgência e emergência, por exemplo, sofre com a superlotação, onde dezenas de macas e pacientes preenchem os corredores internos da ala destinada, evidenciando a insuficiência de leitos para a demanda necessitada pela população.

Foto divulgação Cremeb/Bahia.

De acordo com o diretor médico da unidade, Dr. Cláudio Moura Costa, o maior problema enfrentado no Hospital Regional é conseguir manter um quadro de funcionários suficiente para dar conta dos plantões. No dia da fiscalização, 14 de fevereiro, apenas a UTI e a anestesia tinham os seus quadros de plantonistas completos. As equipes de clínicos e ortopedistas possuíam um dia na semana com lacunas no quadro de horários, enquanto as equipes de pediatras e de cirurgiões enfrentam problemas maiores quanto aos “furos” nas escalas.

A recorrente ausência de plantonistas no setor pediátrico é ainda mais preocupante. Com a criação do Hospital da Costa do Cacau em Ilhéus – previsto pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) para estar pronto até junho deste ano -, o HRI terá funcionamento exclusivo no âmbito materno-infantil, mas atualmente, os finais de semana registram lacunas nas escalas de plantões da pediatria. Vale ressaltar que no dia 8 de fevereiro o Ministério Público baiano intimou o Estado da Bahia a pagar R$ 250.000,00 por descumprimento de uma ordem judicial ajuizada em maio de 2016, que obrigava a presença de plantonistas nas cinco especialidades atuantes no hospital.

Outro entrave apontado pelo gestor da unidade e que possui ligação direta com a qualidade da assistência oferecida à população é a burocracia para o conserto de equipamentos. “Eu estou com uma mesa elétrica para cirurgias quebrada há dois anos e não consigo o conserto junto à Sesab. Estamos sem realizar cirurgias de fêmur por este motivo, que parece bobo, mas a secretaria não libera ‘minha’ manutenção de correção”, exemplifica Moura Costa, referente às burocracias do estado. :: LEIA MAIS »

março 2017
D S T Q Q S S
« fev    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia