WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
faculdade de ilheus




:: ‘Eleições 2018’

Marão, Ângela, Jabes e PT unidos contra Bolsonaro em Ilhéus

Apesar de opositores no campo da política municipal, o atual prefeito Mário Alexandre e a sua mãe, a deputada Ângela Sousa, ambos do PSD, estão no mesmo barco do ex-prefeito Jabes Ribeiro no cenário estadual e nacional.

A pedido do Governador Rui Costa (PT), dois grupos estão mobilizando seus correligionários para tentar frear o crescimento do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) em Ilhéus.

Apesar de não ter nenhuma liderança de peso lhe apoiando, Bolsonaro teve mais de 30 mil votos em Ilhéus, 34,5% do eleitorado, perdendo por nove mil votos para o candidato do PT, Haddad.

Nesta sexta-feira (26), o prefeito Mário Alexandre reúne todo o secretariado e cargos comissionados para cobrar empenho na campanha de Haddad.

Segundo populares, vários servidores da prefeitura estão trabalhando com adesivo do candidato do PT, o que é vetado pela justiça eleitoral.

O que chama atenção é que o PSD nacional está apoiando Bolsonaro, e o eleitorado evangélico, base de Ângela está em grande maioria com Bolsonaro.

Há quem diga que Marão não aprendeu com a derrota do dia 7 de outubro.

Eleitor que não votou no primeiro turno pode votar no segundo

Urna eletrônica.

O eleitor que não votou no primeiro turno das Eleições 2018, ocorrido em 7 de outubro, poderá votar no segundo turno, em 28 de outubro, desde que esteja em situação regular com a Justiça Eleitoral. Ou seja, o título eleitoral precisa se encontrar ativo, não podendo estar cancelado ou suspenso.

A Justiça Eleitoral considera cada turno de votação como uma eleição independente, e o não comparecimento à primeira rodada de votação não impede o comparecimento às urnas no segundo turno. Além da escolha do próximo presidente da República, no próximo dia 28 de outubro os eleitores definirão o nome de governadores de 13 estados e do Distrito Federal, bem como os prefeitos de 19 cidades. :: LEIA MAIS »

Mourão critica fala de filho de Bolsonaro sobre STF e diz que PT já falou a mesma coisa

General Mourão (PRTB), candidato a vice presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL) Foto: Werther Santana/Estadão.

O candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro ( PSL), general Hamilton Mourão, criticou a declaração do deputado Eduardo Bolsonaro de que “bastaria um cabo e um soldado” para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF) e ressaltou que ele “já foi desautorizado” pelo presidenciável. “Não é uma resposta correta e o próprio Bolsonaro já o desautorizou. Isso está totalmente fora de cogitação. Isso é impossível. As Forças Armadas jamais iriam aceitar uma coisa dessas. Tem risco zero”, afirmou Mourão ao Broadcast Político, acrescentando: “O Jair Bolsonaro já pegou e deu uma chicotada em cima disso aí. Está errado. Não pode dizer isso.”

Mesmo repudiando a fala do filho de Bolsonaro, o general se mostrou indignado com o fato de não ter tido a mesma repercussão declaração semelhante e “igualmente descabida” feita, em abril deste ano, pelo deputado federal Wadih Damous (PT-RJ). O petista disse, em vídeo publicado em redes sociais, logo após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter sido preso, que “tem que fechar o Supremo Tribunal Federal”, que era preciso “redesenhar” o Poder Judiciário e fez diversas críticas ao ministro Luís Roberto Barroso, que segundo ele “ajudou a colocar o presidente Lula atrás das grades”. Mourão lembrou que “estranhamente, isso não causou nenhuma comoção”.

“Eduardo é um deputado. Nada mais do que isso, assim como o Wadih Damous. Ambos são deputados. O que ele (Eduardo) vai fazer? Ele, sozinho vai fechar o STF? Isso é um absurdo. Inexequível. Isso é fazer tempestade em copo d’água. Tem de criar um fato. Então, aparece uma frase do cara, dita de afogadilho, sem raciocinar sobre o que está falando, que não devia ter dito, numa palestra, e a oposição diz: vamos virar aqui”, comentou. E questiona: “E o que o deputado do PT disse? O deputado Wadih Damous falou que ia fechar o Supremo e ninguém falou nada. Passou batido. Ele pode? Só porque é do PT ele pode falar e ninguém reage? Quer dizer que o deputado Wadih do PT pode mas o deputado Eduardo do PSL não pode? Por quê? Só porque é o Wadih Damous do PT pode falar e ninguém reclama, ninguém se espanta ou cria comoção?”

Para o general Mourão, “a campanha do PT entrou no desespero dos perdedores, porque vão perder suas boquinhas e começam estes golpes baixos que, aliás, dominaram a campanha”.

Lembrado que a fala do deputado Eduardo Bolsonaro está sendo considerada um desrespeito ao Supremo, o general Mourão, mesmo reiterando que a declaração de fechar STF é “descabida”, respondeu citando que, em tempos de internet é preciso tomar cuidado com tudo que se fala. “As pessoas têm de começar a se acostumar que, na era da internet e da digitalização, qualquer coisa que é falada agora é filmada e jogada na rede. Isso é mudança total na forma de se comunicar e ver o que vai falar. Tem de estar atento a essas coisas”, disse. “A privacidade hoje está perdida. Tem de ver que há uma nova forma de serem divulgados os fatos”.

*Informações do Estadão

Programa de Haddad inclui ideias aplicadas em São Paulo

Candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad foi prefeito de São Paulo de 2012 a 2016.

O presidenciável Fernando Haddad (PT) levou algumas das políticas mais polêmicas desenvolvidas por ele quando prefeito da capital paulista para seu plano de governo nacional. Estão lá propostas como redução da velocidade nos centros urbanos, expansão de ciclovias, combate ao uso de drogas com programas de redução de danos – e não de repressão – e expansão do programa Transcidadania, que dá bolsa de estudos a travestis e transexuais em situação de vulnerabilidade. O petista não se reelegeu prefeito em 2016 – perdeu para o tucano João Doria em primeiro turno, alcançando 16,7% dos votos.

Reverter a redução das velocidades nas Marginais do Pinheiros e do Tietê foi uma das principais bandeiras de campanha de Doria, que cumpriu a promessa logo no primeiro mês de gestão, apesar de os números mostrarem que a ação implementada pelo petista fez o número de mortos em acidentes ter caído 41% no primeiro ano da medida. Após a revisão, o mesmo índice subiu 36%.

Parte da população reprovou também a decisão de Haddad de priorizar o transporte não motorizado. O petista implementou 317 km de ciclovias – o modelo de implementação dessas rotas exclusivas e das faixas para ônibus foi questionado.

O programa do governo do petista cita que, num eventual governo seu, será “promovido o transporte não motorizado, com a expansão de ciclovias e calçadas”, e “desenvolvidas políticas para redução drástica dos acidentes e mortes no trânsito, com ações permanentes nas escolas, melhorias na formação de condutores e redução de velocidade nos centros urbanos”. :: LEIA MAIS »

Justificativa eleitoral pode ser feita pela internet

Imagem Ilustrativa

O eleitor que não votou nem justificou sua ausência neste domingo (7/10), já pode regularizar a sua situação junto à Justiça Eleitoral e, para isso, pode usar a internet. Eleitores de todo o Brasil e do exterior podem fazer a justificativa eleitoral por meio do Sistema Justifica (https://justifica.tse.jus.br), uma ferramenta on-line desenvolvida para dar comodidade ao eleitor nessa situação. A justificativa deve ser apresentada no prazo de até 60 dias, contados da realização de cada turno da eleição, ou ainda em até 30 dias, a partir do retorno do eleitor ao país.

Ao acessar o Sistema Justifica nas páginas de internet do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ou do TRE-BA, o eleitor deve preencher seus dados pessoais, declarar o motivo da ausência às urnas e anexar documentação comprobatória digitalizada. :: LEIA MAIS »

Bolsonaro pode ser liberado para ações de campanha nos próximos dias

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, fala à imprensa após gravação de campanha, no bairro Jardim Botânico, Rio de Janeiro.

O candidato do PSL à Presidência da República neste segundo turno, Jair Bolsonaro, deverá ser liberado para todas as atividades de campanha pela equipe médica na próxima semana. No dia 18, ele será submetido a novos exames. Por enquanto, permanece com restrição para atividades físicas e só deve sair de casa por curtos períodos.

O cirurgião Luiz Macedo – que operou o candidato em São Paulo em 12 de setembro – e o cardiologista Leandro Echenique confirmaram a informação, depois de examiná-lo hoje na casa dele, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Ambos integram a equipe médica que cuidou de Bolsonaro no Hospital Albert Einstein.

Segundo os médicos, o candidato perdeu 15 quilos de massa muscular desde o ataque em 6 de setembro, em Juiz de Fora, Minas Gerais. Após o atentado, ele passou a fazer uma dieta reforçada em proteína para recuperar peso.

Recomendações

Os médicos recomendaram que Bolsonaro permaneça em casa, em repouso relativo, e não participe na sexta-feira (12) de debate com o adversário Fernando Haddad (PT), previsto na Rede Bandeirantes.

De acordo com os médicos, a cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia está prevista para ser realizada a partir do dia 12 de dezembro. A recuperação para esse tipo de procedimento é de aproximadamente duas semanas.

Em relação aos novos exames, ainda não foi definido se Bolsonaro irá ao Hospital Albert Einstein, em São Paulo, ou se os médicos retornaram ao Rio para examiná-lo em casa. :: LEIA MAIS »

Taxa de renovação da Câmara dos Deputados foi a maior em 20 anos

Levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) indicou que a taxa de renovação na Câmara Federal superou as expectativas e alcançou 52% nas eleições deste domingo (7). Com isso, 267 novos deputados federais vão assumir o mandato no próximo ano. É o maior índice de renovação dos últimos 20 anos, informa a pesquisa.

Desde 1990, este percentual só foi ultrapassado na eleição de 1990, quando o índice foi de 62%, e em 1994, quando a renovação foi de 54%. De acordo com o Diap, os deputados eleitos efetivamente novos – o que exclui os que vieram de outros cargos ou que estavam sem mandato, mas já foram deputados federais – são lideranças evangélicas, policiais “linha dura”, celebridades e parentes de políticos tradicionais.

O instituto constatou que, dos 513 deputados federais atualmente em exercício, 79% disputaram a reeleição, sendo que 60% destes conseguiram novo mandato neste domingo. Portanto, dos 407 deputados que concorreram à reeleição, 246 foram reconduzidos ao cargo. Em agosto, projeção da entidade previa que 75% deles deveriam se reeleger. :: LEIA MAIS »

Presidente do PRB em Ilhéus comemora votação expressiva de deputados na cidade

Márcio Marinho, Ivo e Jurailton Santos.

Esta segunda-feira, dia 8, foi de comemorações para a executiva do Partido Republicano Brasileiro (PRB) em Ilhéus. O presidente do partido na cidade, o vereador Ivo Evangelista celebrou a expressiva votação dos deputados estadual eleito Jurailton Santos e o deputado federal reeleito, Márcio Marinho. Ambos tiveram uma votação de destaque, ocupando as primeiras colocações entre os que mais receberam votos em Ilhéus.

Com o fim da apuração das urnas, o deputado estadual Jurailton Santos, eleito para o seu primeiro mandato, aparece na lista entre os cinco mais votados em Ilhéus, com 2.329 votos. Já o deputado federal Márcio Marinho, que segue para o seu quarto mandato, conquistou o voto de 2.828 eleitores, estando entre os três mais bem votados na cidade. O presidente do PRB em Ilhéus, Ivo Evangelista condiciona esse importante resultado às ações desenvolvidas pelo partido em Ilhéus nos últimos anos, a exemplo da destinação de emendas que, juntas somaram mais de 1 milhão e 800 mil reais, em recursos para o município. :: LEIA MAIS »

Vice de Alckmin, Ana Amélia declara apoio a Bolsonaro no segundo turno

Ana Amélia: “Não quero que o país corra o risco da volta do PT ao poder”.

Vice na chapa do presidenciável do PSDB , Geraldo Alckmin , a senadora Ana Amélia (PP-RS) anunciou nesta segunda-feira (08) que pretende seguir a decisão tomada pelo diretório estadual do seu partido em apoiar neste segundo turno o candidato do PSL , Jair Bolsonaro . A senadora anunciou sua posição nas redes sociais, ao dizer que apoia o ex-capitão do Exército para evitar que ‘o país corra o risco de o PT voltar ao poder”.

Em Brasília, Ana Amélia recebeu um telefonema do presidente do partido no Rio Grande do Sul, Celso Bernardi, comunicando que a direção oficializaria o apoio a Bolsonaro. A cúpula do PP se reuniu nesta tarde para formalizar a decisão.

A senadora acaba de divulgar a seguinte nota:

“Nas grandes decisões, os gaúchos não admitem neutralidade. Fui uma das maiores defensoras do impeachment de Dilma Rousseff e uma das vozes mais fortes no Senado contra o desgoverno do PT no Brasil. Não quero que o país corra o risco da volta do PT ao poder. Será uma ameaça à democracia e, especialmente, à Lava Jato. Por essas razões, seguirei a decisão do PP/RS, apoiando no segundo turno a candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência da República.”

Mais da metade dos candidatos alvo da Lava Jato não consegue se eleger

A maior parte dos alvos da Operação Lava Jato que tentaram um novo mandato nas eleições de ontem fracassaram. Dos 77 nomes que ainda respondem a alguma investigação e se candidatam, 40 não tiveram sucesso. Entre os mais famosos estão o ex-líder do governo no Senado Romero Jucá (MDB-RR) e o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), que chegou a ser preso durante a campanha.

Outros nomes de destaque na política, como o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e o vice, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), também ficaram de fora. :: LEIA MAIS »

Vídeo: Centenas de pessoas são impedidas de votar em Ilhéus

O clima de revolta tomou conta eleitores de Ilhéus. Vários vídeos, dos quatro cantos do município, mostram um grande número de eleitores que foram impedidos de votar. Um dos vídeos encaminhado pelo oficial de justiça ao Blog Agravo, Francisco Xavier, mostra várias pessoas na Escola Sá Pereira, bairro da Conquista, faltando poucos minutos para terminar a votação.

Segundo Francisco, muitas dessas pessoas são idosos e estavam indignadas com a espera de até 2 horas para votar, e a escassez de tempo para finalizar a votação.

Até às 17:25 os eleitores continuam na fila esperando o momento de votar.

O vereador Paulo Carqueija, também relatou que em outra escola, a Pequeno Príncipe, além do Sá Pereira, muitas pessoas desistiram de votar. A espera chegou a 3 horas. Um verdadeiro absurdo!

Confira o vídeo da escola Sá Pereira:

Onda Bolsonaro perto de virar tsunami

Manifestação pró- Bolsonaro em Vitória -ES. Foto 30/09/2018 – Fernando Madeira.

Cada vez mais consolidado na liderança das pesquisas, Jair Bolsonaro tenta ampliar o entusiasmo entre seus eleitores para liquidar a eleição já neste domingo, no primeiro turno. Não falta muito para isso. Com 41% dos votos válidos pelo Ibope, abriu 16 pontos porcentuais sobre o petista Fernando Haddad, seu adversário mais próximo.

Com a disparada de Bolsonaro, o voto antipetista parece estar cada vez mais concentrado na sua candidatura e vai abandonando outros políticos, como o tucano Geraldo Alckmin. O candidato do PSL fez tudo certo na reta final da campanha e soube faturar muito bem, até agora, o apoio do eleitor cansado dos políticos tradicionais, das denúncias de corrupção e que deseja mudança. Bolsonaro surfou muito bem nessa onda. Agora, está perto de transformá-la num tsunami eleitoral.

Informações do Jornalista Marcelo de Moraes/ BR18

faculdade madre thais

novembro 2018
D S T Q Q S S
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Aguarde as próximas enquetes...


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia