WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
prefeitura ilheus transporte ilegal

:: ‘Ceplac’

60 anos da Ceplac é tema de sessão da Câmara de Vereadores de Ilhéus

“Ceplac 60 Anos-Panorama Histórico e Perspectivas” é o tema da Sessão Especial que a Câmara de Vereadores de Ilhéus realizará na tarde da próxima quinta-feira (23). Prevista para as 13h, a sessão foi proposta pelo vereador Pastor Matos, do PSD, recebeu apoio de todos os membros do Legislativo ilheense. A iniciativa marca o sexagésimo ano de criação do principal organismo federal em atuação na região sul da Bahia.

A sessão será presidida pelo presidente da Câmara de Ilhéus e terá a presença confirmada de todos os dezenove locais. Lukas Paiva informou que representantes dos organismos ligados à cadeia produtiva do cacau, dirigentes e servidores da Ceplac, vereadores e prefeitos dos municípios do sul da Bahia, empresários e lideranças sociais regionais estão sendo convidados para participar do evento.

A proposta, segundo Pastor Matos, é criar um amplo movimento político-social em defesa da revitalização da economia cacaueira e a preservação da instituição Ceplac. “Chegou a hora da região se unir e fortalecer a Ceplac, apresentando um projeto de desenvolvimento sustentável regional a ser executado pelo Governo do Estado em parceria com Uesc, a Amurc, a Universidade Federal e a própria Ceplac”, propôs.

“Precisamos também discutir a situação dos cacauicultores tradicionais e dos pequenos agricultores, destacou o vereador ilheense. O Governo deve olhar com mais firmeza e atenção para eles”. Para Pastor Matos, “temos que discutir o grau de endividamento dos produtores de cacau e buscar novos investimentos financeiros, com vistas à revitalização da nossa economia”.

Durante a Sessão Especial será relançado o Movimento “A Ceplac é de Todos Nós”, que mobilizará a sociedade regional por meio de uma campanha nos veículos de Comunicação e nas redes sociais. Será proposta a execução de um calendário de ação envolvendo seminários e debates, Dia de Campo, visitas à Sede Regional da Ceplac e a realização de Sessões Especiais nas Câmaras de Vereadores de Itabuna, Itajuípe, Canavieiras, Camacan, Uruçuca, Ipiaú, Jussari, Ubatã, Valença e Eunápolis.

Estão previstos também a realização de uma Audiência Pública da Assembleia Legislativa da Bahia, no Centro de Convenções de Ilhéus, com a participação dos deputados integrantes da Frente Parlamentar em Defesa do Cacau; um encontro em Salvador com o governador Rui Costa, e uma audiência em Brasília com o ministro da Agricultura Blairo Maggi, com a presença dos senadores Otto Alencar e Lídice da Mata, e de parlamentares ligados ao sul da Bahia.

 

Governo apresenta parque para desenvolvimento do cacau e chocolate no sul da Bahia

 A apresentação do Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia, que vai funcionar dentro da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), na rodovia Ilhéus-Itabuna, marcou as comemorações dos 60 anos da implantação da Comissão Executiva da Lavoura Cacaueira (Ceplac), nesta segunda-feira (20). O evento foi realizado na sede regional da instituição, com as presenças dos secretários estaduais de Agricultura, Vitor Bonfim; Ciência, Tecnologia e Inovação, José Vivaldo Mendonça; do Meio Ambiente, Geraldo Reis; e de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues.

Articulado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e Uesc, o parque terá como foco a criação e inovação da cadeia produtiva do cacau e chocolate no sul da Bahia. Foram três anos de estudos para o desenvolvimento do projeto da unidade, que irá auxiliar ainda na qualificação dos ensinos técnico e superior da região.

O parque, que tem previsão de receber R$ 6,5 milhões em investimentos até 2019, também possui como metas o desenvolvimento de sistemas de gestão ambiental, produtividade e competitividade do cacau e do chocolate, fomento à produção agroindustrial, agroecologia e agricultura familiar, manejo e conservação dos recursos florestais.

Desenvolvimento regional :: LEIA MAIS »

A deselegância da Ceplac com Nazal e com Ilhéus

Editorial do Jornal Bahia Online 

José Nazal -Vice prefeito de Ilhéus. Foto de Clodoaldo Ribeiro.

A direção da Ceplac foi, no mínimo, deselegante com Ilhéus nas comemorações dos 60 anos da instituição. Designado pelo prefeito Mário Alexandre Sousa para, oficialmente, representar o município na solenidade, o vice-prefeito José Nazal foi desrespeitado pelo cerimonial.

Primeiro, é preciso lembrar que a Ceplac fica localizada em território ilheense o que, em qualquer cerimonial decente, o colocaria na lista das primeiras autoridades a compor a mesa dos trabalhos e a falar aos presentes. Hoje, Nazal foi um dos últimos a ser convidado. Mesmo assim, graças a um servidor mais atento que chamou a atenção e “lembrou” aos dirigentes da gafe que estaria se estebelecendo com a ausência da autoridade municipal na mesa principal.

Em seguida, caberia à Nazal uma fala de cinco minutos. No entanto, pelo andar da hora, foi cancelado o seu pronunciamento, sem que, sequer, ele fosse avisado da mudança.

A deselegância foi tão grande que, depois, ofereceram-lhe a palavra, num momento já descontextualizado da solenidade, o que, naturalmente, foi dispensado pelo vice-prefeito de Ilhéus.

A Ceplac comemora 60 anos em um momento em que quase nada tem a comemorar. A instituição agoniza, sem apoio, sem recursos para pesquisa ou extensão. Hoje não passa de uma sigla que caminha em direção ao abismo sem força e parca de representação política.

Mas a sua pobreza de espírito não pode vencer as suas dificuldades nem deixar de reconhecer a contribuição de Ilhéus nesta sua trajetória.

E hoje, Ilhéus era Nazal presente à solenidade.

Deputada Ângela Sousa participa das comemorações dos 60 anos da Ceplac

A deputada Ângela Sousa participou manhã desta segunda-feira (20/02), das comemorações aos 60 anos da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC). O evento realizado na sede regional da instituição localizada na rodovia Ilhéus/Itabuna, trouxe como tema principal “Ciência e Tecnologia a Serviço do Cacau”.

Para a parlamentar que é uma defensora das questões da região cacaueira e dos produtores rurais, é um orgulho fazer parte dessa importante comemoração da Ceplac, esta instituição que ao longo desses anos desempenha um trabalho de relevância para o desenvolvimento regional e a cultura do cacau. “Seguiremos na luta pela manutenção, autonomia e modernização desta instituição vital para a lavoura cacaueira”, destacou.

Estiveram presentes também na ocasião o Superintendente Regional da Ceplac da Bahia, Ântonio Cesar Costa Zugaib, o diretor Geral da Ceplac, Juvenal Maynart Cunha, o secretário Estadual de Agricultura, Vitor Bonfim e a senadora Lídice da Mata, entre outras autoridades e funcionários da instituição.

Adonias de Castro assume interinamente a Superintendência da Ceplac

unnamedO engenheiro agrônomo Adonias de Castro, Chefe de Pesquisa e Extensão Rural da Ceplac, está exercendo interinamente o cargo de Superintendente Regional com a recente saída de Alexandre Brandão, que esteve à frente da SUEBA até 8/08/16.

Adonias afirmou que manterá todos os compromissos da instituição assumidos na gestão do seu antecessor e que dará prioridade às ações da superintendência que visem à maior aproximação com as entidades representativas dos produtores e da sociedade. Segundo Adonias, “a Ceplac tem muito a oferecer às regiões produtoras de cacau, tem a capacidade de agregar suporte técnico às entidades que defendem os pleitos dos produtores, além de disponibilizar tecnologia avançada de produção sustentável de cacau e chocolate. Produtores e Ceplac devem trabalhar em estreita cooperação – completa Adonias – para maior benefício de todos e isto nós vamos buscar com determinação”.

Decreto que rebaixou a CEPLAC é anulado; Bebeto comemora

Bebeto___A região cacaueira amanheceu nesta sexta-feira (15) com uma importante notícia. Foi publicada no Diário Oficial da União a revogação do decreto 8701/2016, que rebaixava o status administrativo da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC). A medida foi comemorada pelo deputado federal Bebeto Galvão (PSB), que foi um dos principais articuladores para garantir a anulação do inoportuno decreto, que foi baixado em março na calada da noite pela ministra da Agricultura, Kátia Abreu, pegando toda região de surpresa.

“A derrubada desse decreto significa uma grande vitória da região cacaueira, significa a vitória do diálogo, do bom senso, da união dos produtores de cacau, dos empresários, dos trabalhadores, dos políticos, de toda sociedade baiana, que enfrentou esse episódio com firmeza e determinação”, comemora Bebeto.

Desde que a essa ideia de rebaixar a Ceplac foi ventilada, uma verdadeira força-tarefa foi realizada na Bahia, com a participação de diversos segmentos da sociedade e da política, para evitar que o decreto fosse publicado. Mas, lamentavelmente, a ministra da Agricultura descumpriu o acordo firmado com parlamentares baianos e publicou a alteração sem consultar a bancada. A medida provocou um sentimento de revolta na Bahia e o governo voltou atrás e garantiu que devolveria o status original à Ceplac. “Quero agradecer a cada um dos envolvidos, a todos que nos ajudaram a reverter esse golpe contra a cacauicultura. Não podemos ser exclusivistas. Esse é o resultado de união de todas as classes em defesa de um assunto de interesse coletivo, declara o deputado Bebeto.

Bebeto informa que a partir de agora, revogado o decreto, o desafio é provocar o debate em torno do novo modelo de organização e funcionamento da CEPLAC, definindo o papel do órgão, a partir do diálogo com todos os estados produtores de cacau, principalmente a Bahia, que é o principal produtor do fruto no país. “A minha defesa é que tenhamos condições de mais investimentos em inovação, pesquisa e tecnologia, fortalecendo a produção local e intensificando a relação com mercados internacionais, além de garantir a valorização e qualificação do quadro profissional, tanto dos técnicos vigentes, como a realização de novo concurso público”, completa.

Bebeto anuncia anulação de decreto que rebaixou CEPLAC e confirma revitalização do órgão

Bebeto___O decreto que rebaixou o status da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC) será anulado nos próximos dias, conforme antecipado pelo deputado federal Bebeto Galvão (PSB), que está empenhado pela revogação deste quando inoportuno decreto foi publicado. Após reunião na Casa Civil e no Ministério da Agricultura nesta quarta-feira (13), Bebeto explica que o Diário Oficial da União trará uma publicação que devolve à CEPLAC o seu status anterior. A mudança só não foi publicada ainda porque, além da revogação, há um desafio de encontrar uma forma de reestruturar a comissão, com modificações nas superintendências.

Bebeto informa ainda que será instituído um grupo de trabalho para discutir um novo modelo de organização e funcionamento, definindo qual o papel da CEPLAC. Ou seja, será devolvido à CEPLAC o seu status original, mas durante 60 dias será realizado um amplo debate com os estados produtores de cacau para encontrar uma forma mais estratégica de atuação da comissão.

Na avaliação do deputado Bebeto, a revogação deste decreto é o resultado de um processo de debate e de união da região cacaueira, que enfrentou o episódio com firmeza em defesa da lavoura, envolvendo produtores, entidades representativas, políticos. O parlamentar sulbaiano defende que este é um momento oportuno para que agora a CEPLAC dê um passo à frente na sua reestruturação. “Defendo que a comissão tenha ligação mais próxima com o comando do Ministério da Agricultura, ganhando maiores investimentos em inovação, pesquisa e tecnologia, e o fortalecimento da relação com mercados internacionais. Também é fundamental investir no quadro de pessoal através da valorização dos técnicos vigentes e na realização de concurso público”, ressalta Bebeto.

O decreto que rebaixou o nível institucional da CEPLAC ainda não foi revogado

Ceplac.

Ceplac.

No último sábado houve uma especulação dando conta de que a presidência da República havia anulado o decreto, mas isso ainda não ocorreu. De acordo com o deputado federal Bebeto Galvão (PSB), que está à frente pela anulação deste decreto, a expectativa é de que o governo publique na próxima semana a revogação no Diário Oficial da União. O ministro chefe do gabinete da Presidência da República, Jaques Wagner, atendeu ao pedido de Bebeto e disse que mudança ocorrerá, como forma de reverter esse golpe aplicado pela ministra Kátia Abreu.

“Temos a garantia de que será revogado, mas não foi publicado ainda porque não basta revogar. É preciso deixar claro algumas questões para que a CEPLAC não sofra uma nova surpresa ruim. Estou empenhado para conseguir essa revogação, inclusive estou acompanhado passo a passo o processo de mudança. Wagner me informou que governo ainda não publicou a alteração porque está verificando se revoga totalmente o decreto, que inclui outros órgãos, ou se revoga apenas o decreto que trata exclusivamente da CEPLAC”, explicou Bebeto.

Augusto diz que governistas levaram “bola nas costas” no rebaixamento da Ceplac

Deputado Augusto CastroO deputado Augusto Castro (PSDB) afirma que parlamentares e políticos que apoiam a presidente Dilma no eixo Itabuna-Ilhéus deram uma grande demonstração de desprestígio na semana passada, com a medida do governo federal de rebaixar a Ceplac para departamento do Ministério da Agricultura.

Para o deputado, os representantes do governo “levaram bola nas costas” e deixaram claro que não vinham acompanhando o desenvolvimento do assunto. “Faltou empenho e quem fica no prejuízo é o produtor e a região”, avalia.

Augusto diz ainda que “não existiu da parte dos governistas uma demonstração de compromisso com a Ceplac, que já vem sendo sucateada há anos e agora entrou no corredor da morte”. Para ele, “é muito fácil culpar a ministra Kátia Abreu, enquanto se deixa, por conveniência, de se atribuir responsabilidade a quem de fato tem a caneta e deveria respeitar a importância da Ceplac para nossa região, que e a presidente Dilma”.

Para Augusto, “ou os governistas levaram bola nas costas, ou estão fazendo jogo de cena para mais uma vez enganar a região”. O deputado acrescenta que, em qualquer uma dessas hipóteses, os apoiadores da presidente Dilma demonstram que não estão cumprindo seu papel. “Se não sabiam do que estava por vir, são incompetentes; se sabiam e nada fizeram para evitar, optando por blindar a presidente da República, são coniventes com o mal que se abateu sobre a Ceplac”, declara o deputado.

Deputado Bebeto exige revogação de decreto que rebaixou a CEPLAC

bebetoConsiderado um dos principais políticos defensores da lavoura cacaueira, o deputado federal Bebeto Galvão (PSB) deu início a uma jornada para reverter o golpe aplicado pela ministra Kátia Abreu, que rebaixou o status da CEPLAC à condição de um departamento submisso a uma das secretarias do Ministério da Agricultura. Bebeto exige que o governo federal revogue imediatamente o decreto, que modifica a estrutura da Ceplac, assinado pela ministra na semana passada. Embora considere uma medida inoportuna da ministra Kátia Abreu, que descumpriu acordo firmado durante audiência, o deputado Bebeto diz que a revogação não objetivo de demonstrar uma derrota política deste ou daquele ministério, mas representará a vitória do diálogo e do apelo de parlamentares, dos produtores, dos servidores do órgão, da sociedade, que não aceitam essa medida. “Não aceitaremos esse decreto, de jeito nenhum. O governo precisa anular essa medida da ministra, ou então estará assinando novamente o atestado de abandono da região cacaueira. Eu não quero acreditar que isso será mantido”, afirma.

Confira o discurso :

Rui quer reverter decisão do Ministério da Agricultura que transforma Ceplac em departamento

Ceplac.

Ceplac.

O governador Rui Costa disse hoje que vai trabalhar para reverter a decisão do Ministério da Agricultura, que transformou a Ceplac (Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira) em departamento, o que pode significar perda de autonomia do órgão e a redução nas ações de pesquisa e extensão rural.

De acordo com o governador, “cabe sim uma discussão do novo perfil da Ceplac, com uma estrutura mais moderna e mais ágil, que traga maior retorno para a Bahia”. “Esse formato adotado não foi discutido com o Estado da Bahia e nós não concordamos com ele. Conversamos hoje com o ministro Jaques Wagner e vamos conversar com a ministra (da Agricultura) Kátia Abreu, porque nós precisamos definir o melhor formato da Ceplac, sem imposições e através do diálogo”, disse Rui.

“A Bahia como maior produtora de cacau precisa ser ouvida sobre o fortalecimento de uma instituição que contribuiu e ainda pode contribuir para o fortalecimento da cadeia produtiva do cacau”.

Deputada Ângela Sousa reprova decisão que coloca a Ceplac na condição de um departamento

Deputada Ângela Sousa.

Deputada Ângela Sousa.

Como líder política, filha da terra e representante da região cacaueira, recebi com muita tristeza a notícia da publicação do decreto no Diário Oficial da União desta sexta-feira (1º) assinado pela ministra da agricultura Katia Abreu, que coloca a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), órgão de relevância ímpar para a história da economia cacaueira e para os produtores como um departamento vinculado a uma das secretarias do ministério.

Esta medida da ministra nos deixa decepcionados, uma vez que havia se comprometido em dialogar com os parlamentares que compõem a bancada baiana e com as regiões produtoras de cacauicultores, promovendo assim uma ampla discussão sobre o assunto antes de qualquer decisão. A determinação, sem duvidas, acaba com a tentativa de crescimento deste importante órgão que possui mais de 60 anos, e tem uma relevância que se confunde com a própria história do cacau, dos produtores, sem esquecer sua importância econômica na geração de emprego no setor.

A Ceplac precisaria ser reformada, fomentada para permitir que seja desenvolvido ainda mais seu trabalho de pesquisa, novas tecnologias, que ajudam diretamente os cacauicultores e não reduzida.

Bebeto critica decreto que rebaixou a CEPLAC e detona ministra da Agricultura

Bebeto_Tribuna_Camara_foto_ChicoFerreiraO deputado federal Bebeto Galvão (PSB) ficou indignado com o golpe aplicado pela ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que, na calada da noite, assinou um decreto rebaixando o nível institucional da CEPLAC, que deixa de ser um órgão de administração direta e se torna um departamento vinculado a uma das secretarias do ministério.

O parlamentar afirma que essa medida pegou todos os envolvidos no assunto de surpresa e frustra todo um efetivo de profissionais que atuam há décadas para salvar o único órgão federal com expertise para tratar de políticas públicas do cacau. Desde que essa ideia inoportuna do ministério foi ventilada, o deputado Bebeto, além de senadores, deputados estaduais, dirigentes partidários, produtores de cacau, instituições, entraram no circuito para tentar impedir esse golpe, com pronunciamentos no Congresso, notas públicas de manifestos e audiências na Esplanada dos Ministérios.

A ministra Kátia Abreu assumiu o compromisso, durante audiência com parlamentares, que ia rever a decisão e não tomaria qualquer iniciativa sobre a reforma administrativa na Ceplac sem antes dialogar com a bancada baiana no Congresso e com as regiões produtoras da cacauicultura. “A ministra traiu a confiança de toda bancada, ela mentiu sorrateiramente. Numa só canetada, essa senhora assina o esvaziamento e a morte por inanição de um órgão respeitado mundialmente, assumindo oficialmente o desrespeito e abandono com a cultura do cacau. Nós da bancada baiana e dos outros cinco estados produtores de cacau precisamos ir pra cima. Não podemos aceitar esse golpe”, esbraveja o deputado Bebeto.

Bebeto destaca que essa decisão joga por água abaixo toda luta de retomada de crescimento do órgão, trazendo enormes prejuízos para a produção, em especial os pequenos produtores.  Ao reduzir o status da CEPLAC, o governo aumenta a distância entre a comissão e a cúpula do ministério, dificultando o andamento de propostas estruturantes do órgão. “A CEPLAC precisa ser revitalizada e não esvaziada. Se fosse para reestruturar a CEPLAC, que fosse para fortalecer o órgão. Isso é um abuso de poder”, lamenta Bebeto.

Parlamentares entregam manifesto à ministra para impedir esvaziamento da Ceplac

Foto divulgação.

Foto divulgação.

Parlamentares baianos se reuniram nesta quarta-feira (02) com a ministra da Agricultura, Katia Abreu, para impedir que uma reforma administrativa na Ceplac reduza o tamanho da instituição e, consequentemente, esvazie as relevantes atividades desenvolvidas pela comissão em defesa das regiões produtoras de cacau. Presente na reunião, o deputado Bebeto Galvão (PSB), representante do Sul da Bahia, principal região produtora da cacauicultura brasileira, informa que a comitiva entregou à ministra uma carta de manifesto que aponta os principais prejuízos para a lavoura caso essa tentativa de reestruturação seja levada adiante. Também participaram da reunião a senadora Lídice da Mata, além dos deputados Roberto Brito, Davidson Magalhães e Eduardo Sales.

Bebeto reforça que o grupo não aceitará que o governo mate por inanição o único órgão com expertise para tratar de políticas públicas sobre a cacauicultura, como a Ceplac, que tem um volume de pesquisas científicas reconhecido em todo mundo. Além disso, acrescenta Bebeto, a indignação se dá porque o ministério da Agricultura resolveu rebaixar o status da Ceplac sem propor qualquer diálogo com a bancada baiana no Congresso, e principalmente sem os representantes da cadeia produtiva, que serão os mais prejudicados. “Não somos resistentes à mudanças, mas também não aceitaremos uma reforma às escuras. Se é para reestruturar a Ceplac, que seja para fortalecer e não para desmontá-la. Reduzir o tamanho da instituição seria mais um grande golpe para a região Sul da Bahia. Já não bastasse toda a ausência do Estado brasileiro na região, a questão do refinanciamento da dívida da cauicultura, que o governo não resolve, e o aumento do imposto sobre o chocolate”, desabafa Bebeto.

“Ao invés do reducionismo, é preciso que a Ceplac tenha um modelo institucional adequado que lhe permita assumir desafios do Estado em benefício da sociedade através do desenvolvimento sustentável (…) Milhares de famílias se sustentam da produção de cacau e outros cultivos perenes (…) Repensar e modernizar a Ceplac é válido, desmontá-la não. É preciso que se abra o debate sobre sua reestruturação para ser discutido com os segmentos representativos das regiões onde ela atua e desta forma buscar uma solução que aponte o fortalecimento desta instituição”, diz um trecho da nota de manifesto.

março 2017
D S T Q Q S S
« fev    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia