WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
faculdade de ilheus




:: ‘Corrupção’

Prefeito exonera parentes da primeira dama de cargos municipais

Prefeito de Itapebi, Juarez da Silva.

O prefeito de Itapebi, Juarez da Silva, exonerou Jaones Botelho, Isan do Nascimento Botelho e Leonardo Botelho dos respectivos cargos de secretário municipal de Finanças, procurador-geral do Município e de coordenador de Defesa Civil. A exoneração desses servidores foi recomendada pelo Ministério Público estadual no último dia 19 de setembro. Na recomendação, o promotor de Justiça Dinalmari Mendonça Messias apontou que aqueles servidores eram todos parentes da esposa do prefeito, Jairene Botelho da Silva, e a nomeação deles configurava casos de nepotismo, conforme o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF).

 Irmão da esposa do prefeito, Jaones Botelho foi exonerado no último dia 6 de novembro. Já os sobrinhos de Jairene Botelho, Isan Botelho e Leonardo Botelho, foram exonerados no último de 11 de outubro. A recomendação do MP também pedia a exoneração de Mércia Botelho da Silva Bonfim do cargo de secretária-adjunta de Assistência Social. Segundo documento enviado pela Prefeitura ao MP, a sobrinha da esposa do prefeito já havia sido exonerada no dia 1º de fevereiro de 2017.

Nilo sobe tom contra Leão após ser acusado de vazar delação: ‘Mentiroso’

Marcelo Nilo.

O deputado federal eleito Marcelo Nilo (PSB) disse que o governador em exercício João Leão (PP) é “mentiroso”, após ser acusado pelo progressista de vazar uma delação premiada contra o parlamentar estadual Nelson Leal (PP).

“Quando eu quero falar uma coisa contra um cidadão ou cidadã, eu falo na cara. Não fico plantando contra ninguém. Foi mentiroso, irresponsável e leviano. É vendedor de fumaça. Um dos homens mais despreparados que conheci na vida. Não honra o cargo que ocupa. Não foi Marcelo Nilo que vazou a delação. O que ele quer fazer é aparecer. Deveria colocar uma melancia e ir para Rua Chile para aparecer mais”, afirmou Nilo, em entrevista à Rádio Metrópole.

Leão, em entrevista ao Bocão News, acusou Nilo de ter “mania de perseguição” e vazar a colaboração premiada do empresário Kells Belarmino Mendes na operação Águia de Haia para prejudicar Nelson Leal, que é candidato a presidência da Assembleia Legislativa da Bahia

Nilo disse que tem “divergências profundas” com Nelson Leal – que prometeu votar no socialista na última disputa pelo comando da Assembleia, mas apoiou Angelo Coronel (PSD) -, mas não vazou a delação.

PF cumpre mandados em operação que investiga propina paga a senador

Senador Romero Jucá

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (8/11) a Operação Armistício, que tem como objetivo investigar suposto recebimento de propina paga pela Odebrecht ao senador Romero Jucá (MDB).

A vantagem indevida foi obtida, segundo a PF, após edição de uma resolução que restringia a chamada guerra fiscal nos portos brasileiros. A alteração foi feita em 2012. Nesta ação, a polícia também apura se outras pessoas teriam se beneficiado com a aprovação da resolução.

Os pagamentos indevidos, de cerca de R$ 4 milhões, teriam sido feitos por uma empreiteira que tinha interesse na edição do ato.

Os policiais federais cumprem nove mandados de busca e apreensão, dos quais sete em São Paulo, um em Santos (SP) e um em Campo Limpo Paulista (SP).

As medidas foram autorizadas pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, no inquérito 4382-STF.

PF deflagra operação no Rio de Janeiro para prender 10 deputados

A Polícia Federal faz hoje (8) uma operação para investigar a participação de deputados estaduais do Rio de Janeiro em um esquema de corrupção, lavagem de dinheiro, loteamento de cargos públicos e mão de obra terceirizada em órgãos da administração estadual.

A operação, chamada Furna da Onça, é um desdobramento da Operação Cadeia Velha, que levou à prisão os deputados Paulo Melo, Jorge Picciani e Edson Albertassi, todos do MDB.

Estão sendo cumpridos 19 mandados de prisão temporária, três de prisão preventiva e 47 mandados de busca e apreensão. Alguns mandados estão sendo cumpridos dentro da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Segundo a PF, a organização criminosa pagava propina a vários deputados estaduais, a fim de que patrocinassem interesses do grupo criminoso na Alerj. :: LEIA MAIS »

Prefeitos de Bom Jesus da Lapa e Serra do Ramalho têm bens bloqueados por fraude de R$ 12 mi à Educação

Eures Ribeiro, prefeito de Bom Jesus da Lapa.

A pedido do Ministério Público Federal (MPF) em Bom Jesus da Lapa (BA), a Justiça Federal determinou liminarmente a indisponibilidade dos bens dos prefeitos de Bom Jesus da Lapa e de Serra do Ramalho. Eures Ribeiro Pereira e Ítalo Rodrigo Anunciação da Silva são acusados de fraudes em licitações que resultaram no prejuízo de R$ 12.218.323,54 em recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate). Além dos gestores, quatro servidores dos municípios, dois particulares e duas empresas também tiveram seus bens bloqueados. A decisão foi assinada em 25 de outubro.

De acordo com a ação de improbidade administrativa, ajuizada pelo procurador da República Adnilson Gonçalves da Silva, trata-se de um esquema continuado, entre 2013 e 2016, envolvendo fraudes e superfaturamentos, que acarretou em ilegalidades em diversas licitações no município de Bom Jesus da Lapa: Pregão Presencial 019/2013 (Contrato 078/2013), Pregão Presencial 008/2014 (Contrato 021/2014), Dispensa de Licitação 047/2014 (Contrato 153/2014) e Pregão Presencial 021/2016 (Contrato 044/2016). À época do fatos, Ítalo Rodrigo Anunciação era empresário e controlador das empresas envolvidas no esquema, tornando-se prefeito de Serra do Ramalho em 2017, com apoio de Eures Ribeiro. :: LEIA MAIS »

Cinco vereadores de Itapé são afastados após operação do MP

Imagem TV Santa Cruz.

Os vereadores Klebson de Jesus Santos, Cledson Gomes Alves, Agnaldo Santos Filho e Eduardo Coelho, da Câmara Municipal de Itapé, foram afastados de seus cargos nesta terça-feira, dia 16, durante operação do Ministério Público estadual que investiga crimes de desvio de verbas na casa legislativa. O vereador Nilton Rosa, presidente da câmara, já está afastado desde julho. As decisões do juiz Murilo Staut Barreto atendem a pedidos formulados pelo promotor de Justiça Inocêncio de Carvalho Santana. Além do afastamento, foram cumpridos mandados de busca e apreensão de documentos.

O esquema descoberto pelo MP consiste na transferência de pelo menos dois cheques da conta da Câmara para a conta pessoal do presidente afastado, nos valores de R$ 11.300,00 e R$11.200,00. O montante teria sido usado para garantir empréstimos e a compra de um gado. Outros dois cheques, nos valores de R$ 16.000,00 e R$ 8.000,00 teriam sido usados para compra de material de construção que seriam utilizados em obras residenciais do presidente da casa e de outros dois vereadores. Entre os documentos apreendidos na operação estão contracheques dos vereadores, contratos de empréstimos consignados, processos de pagamento e processos licitatórios dos parlamentares. Segundo o promotor de Justiça, cópia da decisão de afastamento dos vereadores será encaminhada ao juiz eleitoral da 27ª Zona Eleitoral para que sejam adotadas medidas que viabilizem o funcionamento do Poder Legislativo Municipal, a exemplo da diplomação e posse de vereadores suplentes.

Gleisi diz que Haddad, a pedido de Lula, não irá mais visitá-lo

Fernando Haddad e Lula

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), disse hoje (9) que o candidato do partido à Presidência, Fernando Haddad, a pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não deve visitá-lo em Curitiba na etapa final da campanha. Lula está preso desde abril na carceragem da Polícia Federal após condenação em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP).

Ir a Curitiba nas segundas-feiras passou a fazer parte da rotina de Haddad, como ocorreu ontem (8) logo após o primeiro turno das eleições. De acordo com Gleisi, foi o próprio Lula que determinou a Haddad para concentrar os esforços na campanha.

Confira na íntegra a delação; Palocci diz que PT abriu contas no exterior

Lula e Palocci.

O ex-ministro Antonio Palocci (governos Lula e Dilma) afirmou, em delação premiada, que empresas mantinham ‘na confiança’ contas no exterior em benefício do Partido dos Trabalhadores. No primeiro termo de sua colaboração com a Polícia Federal, tornado público nesta segunda-feira, 1, pelo juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, Palocci também diz que a maior parte das doações registradas no Tribunal Superior Eleitoral ‘tem origem ilícita’.

A delação de Palocci contém uma narrativa minuciosa e explica como foi montado o esquema de propinas e loteamento de cargos estratégicos atendendo interesses de partidos políticos na Petrobrás, a partir das indicações de Paulo Roberto Costa (Diretoria de Abastecimento) e de Renato Duque (Serviços).

O relato do ex-ministro aponta, inclusive, locais onde o ex-presidente teria tratado pessoalmente da ocupação dos cargos na estatal, o 1.º andar do Palácio do Alvorada.

Palocci afirmou que ‘as contas’ dos partidos podem ter sido regularmente prestadas e aprovadas e, ainda assim, possuírem origem ilícita’ e que ‘os grandes arrecadadores do PT foram Delúbio Soares, Paulo Ferreira e João Vaccari‘.

Palocci está preso desde setembro de 2016, alvo da Operação Omertà, desdobramento da Lava Jato. O juiz Moro o condenou em uma primeira ação a 12 anos e dois meses de reclusão.

O termo número 1 de colaboração do ex-ministro foi anexado à mesma ação penal em que ele confessou crimes pela primeira vez. O processo se refere a supostas propinas de R$ 12,5 milhões da Odebrecht ao ex-presidente por meio da aquisição de um apartamento em São Bernardo do Campo e de um terreno onde supostamente seria sediado o Instituto Lula, que teria sido bancado pela empreiteira.

Clique aqui e veja na íntegra a delação de Antonio Palocci. 

Polícia Federal deflagra quarta fase da Operação Registro Espúrio

Imagem ilustrativa.

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (18) a quarta fase da Operação Registro Espúrio, com o objetivo de apurar desvios de valores da Conta Especial Emprego e Salário (CEES).

Os agentes cumprem 16 mandados de busca e apreensão e nove mandados de prisão temporária em Brasília, Goiânia, Anápolis, São Paulo e Londrina. Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

As investigações indicam a atuação de uma organização criminosa em entidades interessadas em obter, de forma fraudulenta, restituições de contribuições sindicais recolhidas indevidamente da CEES.

Os pedidos de restituição eram manipulados pelo grupo com o intuito de adquirir direitos a créditos, conforme indicou também o Ministério da Transparência e a Controladoria-Geral da União.

Esquema :: LEIA MAIS »

Promotoria acusa Haddad por corrupção, quadrilha e lavagem de dinheiro

O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro Fernando Haddad é “vice” de Lula nas eleições de 2018.

O ex-prefeito Fernando Haddad, provável candidato a presidente da República pelo PT, foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e quadrilha. A acusação da Promotoria é um novo desdobramento da investigação envolvendo a UTC Engenharia, de Ricardo Pessoa, que teria pago uma dívida de R$ 2,6 milhões da campanha de 2012 à Prefeitura com recursos de caixa 2.

“Prefeito da cidade de São Paulo, recém-eleito (2013), detendo o poder de, em razão de suas funções, ainda que em perspectiva de hipótese e mesmo que não se concretizasse, qualquer contrapartida para a empresa UTC Empreiteira S.A., solicitou e recebeu indiretamente, vantagem indevida de R$ 2.600.000,00. Depois, agiu por interpostas pessoas de forma a dissimular a natureza, a origem, a localização e a movimentação dos valores provenientes, direta e indiretamente, daquela infração penal”, diz trecho da nova denúncia contra o atual candidato a vice-presidente na chapa petista.

Segundo o promotor Marcelo Batlouni Mendroni, “nesse contexto de dissimulação, ocorreu o pagamento, em parcelas, da vantagem indevida no valor de R$ 2.600.000,00; de forma direta em favor do PT e de forma indireta em favor do ex-prefeito da cidade de São Paulo Fernando Haddad, que foi o beneficiário final dos pagamentos e quem, exercendo o cargo de prefeito, e em razão desta função, detinha domínio a respeito de fatos que poderiam resultar em benefícios de contraprestação à Empreiteira UTC Engenharia S.A.”. :: LEIA MAIS »

Haddad vira réu em ação que apura prejuízo de R$ 5,2 mi na ciclovia

O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro Fernando Haddad é vice de Lula nas eleições de 2018.

Candidato a vice na chapa do PT à Presidência da República, o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad virou réu em ação de improbidade administrativa na qual o Ministério Público de São Paulo pede a condenação do petista pelo suposto prejuízo de R$ 5,2 milhões aos cofres da Prefeitura com a construção de uma ciclovia pela sua gestão na capital (2013-2016).

A ação foi movida em fevereiro de 2016 pelos promotores Marcelo Milani e Nelson Sampaio e recebida na segunda-feira, 20, pelo juiz Kenichi Koyama, da 11.ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo. Além de Haddad, também viraram réus os ex-secretários Jilmar Tatto (Transportes), candidato do PT ao Senado, Ricardo Teixeira (Subprefeituras), um ex-assessor de Teixeira e a empresa Jofege Pavimentação e Construção, contratada para executar a obra.

Segundo a denúncia do MP paulista, a construção de um trecho de 12,4 km da ciclovia Ceagesp-Ibirapuera pelo valor de R$ 54,78 milhões foi feita sem a devida licitação, sem projeto executivo e com preço superfaturado.Os promotores afirmaram que cada quilômetro da ciclovia feita entre 2014 e 2015 na gestão Haddad custou R$ 4,4 milhões, valor 613% maior do que os R$ 617 mil pagos por quilômetro pela gestão do antecessor Gilberto Kassab (PSD) para fazer trecho de ciclovia na mesma região da cidade. :: LEIA MAIS »

Em evento sobre eleições, Cármen Lúcia exalta Ficha Limpa

Cármen Lúcia

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, exaltou a participação popular e elogiou a Lei da Ficha Limpa, que disse ser umas das melhores normas legais sobre o assunto em todo mundo.

“A Lei da Ficha Limpa é de iniciativa popular, foi o conjunto de cidadãos que levou ao Congresso Nacional aquilo que lhe parecia próprio, uma lei considerada pela ONU [Organização das Nações Unidas] uma das melhores leis que existem, uma das três melhores do mundo”, ressaltou.

A declaração foi dada na abertura de um seminário sobre os desafios da democracia e das eleições, em uma universidade particular de Brasília, do qual também participaram o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, e o ministro Tarcísio Vieira, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). :: LEIA MAIS »

faculdade madre thais

novembro 2018
D S T Q Q S S
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Aguarde as próximas enquetes...


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia