WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
prefeitura ilheus transporte ilegal

:: ‘Agricultura’

Ilhéus retoma Programa de Aquisição de Alimentos e beneficia agricultores familiares e instituições sociais

Pequenos produtores e instituições sociais de Ilhéus voltam a se beneficiar com o PAA

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD), destacou hoje, 06, a importância da valorização do homem do campo no fortalecimento da economia do município. Ao participar do lançamento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Mário Alexandre disse conhecer de perto as necessidades da zona rural de Ilhéus e reafirmou que o seu mandato terá, sempre, uma atenção especial ao pequeno agricultor. “Eu sei quem são vocês. Sou amigo do campo, conheço a zona rural de Ilhéus e sei quais as grandes necessidades de cada um dos que estão aqui”, afirmou.

Em Ilhéus, o PAA ficou sem ser executado pela administração anterior no segundo semestre do ano passado. Reativado pela atual gestão, o programa conta com recursos da ordem de 976 mil reais, beneficiando 308 agricultores familiares e 21 entidades sócio-assistenciais. A perspectiva é aumentar o montante ano que vem. O agricultor Adilson Santos, de 35 anos, produz banana, aipim, côco, manga e limão. “Estava triste sem poder vender parte da minha produção. Agora volto a me animar com a possibilidade de ganhar um dinheiro a mais com o meu trabalho”, destacou. Parte do dinheiro da sua primeira participação no programa ainda está guardada no banco. A outra investiu na adubação da terra.

Fim do prejuízo, retomada do lucro

Membro da Associação dos Pequenos Produtores de Búzios, zona sul de Ilhéus, João Celestino, de 57 anos, enfrenta, diariamente, as dificuldades no escoamento da sua produção, em função das condições da BR 251, trecho Ilhéus-Buerarema. Nem todo dia consegue os ônibus conseguem trafegar pela região. A banana lidera a lista de produtos que ele comercializa. “É uma fruta que se estraga facilmente, perco muito dinheiro, cerca de 20 por cento do que produzo por falta de comprador”. A inclusão do seu nome na lista dos fornecedores do PAA vai muito além do que diminuir o prejuízo. “Passo finalmente a lucrar”, elogiou.

Presente ao lançamento, a deputada estadual Ângela Sousa (PSD) elogiou a força do homem e da mulher do campo, “pessoas corretas, determinadas e corajosas que não se rendem às dificuldades”. Para ela, a reativação do PAA em Ilhéus é mais que um compromisso da administração municipal. É um dever. “O agricultor precisa saber que ele não está pedindo nada. Avançar, ter novas oportunidades, é um direito de todos eles”, elogiou.

O secretário municipal de Agricultura e Pesca, Angelito Dias Filho, explica que esta edição nacional do programa teve uma redução de investimentos de 30 por cento por conta das dificuldades financeiras do governo federal. “Mas o que importa neste momento é que Ilhéus está reinserido no programa e os produtores estão animados com a retomada”, destacou.
:: LEIA MAIS »

Sessão especial na Câmara de Vereadores de Ilhéus debateu situação da Ceplac

Na tarde da quinta-feira (23) uma sessão especial solicitada pelo vereador Pastor Matos (PSD) para homenagear o aniversário de 60 anos da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) reuniu políticos, agricultores, funcionários da Ceplac e pessoas que se preocupam com o futuro da instituição.

Muitas autoridades participaram do evento entre elas a deputada estadual Ângela Sousa, o vice-prefeito José Nazal, o presidente do legislativo ilheense Lukas Paiva, o superintendente da Ceplac, Antônio Zugaib, entre outros. Várias instituições de renome também se fizeram presentes no evento como o Instituto Nossa Ilhéus, Instituto Pensar Cacau e Sindicato Rural. O coral formado por funcionários da Ceplac realizou uma apresentação durante o evento.

“Panorama histórico e perspectivas” foi o tema principal do debate. De acordo com Fernando Ribeiro, secretário da Comissão de Revitalização da Ceplac, “essa iniciativa, que foi iniciada em 2016, deve contar com lideranças e políticos da região, para que a Ceplac possa se modernizar e alcançar todo seu potencial“. O vereador Pastor Matos acredita que “a Ceplac sempre foi um órgão importante para nossa região e nós devemos nos preocupar com ela, pois uma Ceplac forte fará uma região forte”.

A deputada estadual Ângela Sousa reconheceu a importância da instituição e afirmou que ela “é motivo de orgulho para todos que defendem os produtores da região e a revitalização é vital para a lavoura cacaueira”. Para Antônio Zugaib, superintendente da Ceplac, “esse é um momento importante para nós, pois há anos a Ceplac vem enfraquecendo sem a sociedade perceber, não podemos permitir o retrocesso, e é perpetuando essa luta que traremos a Ceplac de volta”.

Na próxima quinta-feira (30) às 14h uma nova sessão será realizada no plenário da Câmara de Vereadores de Itabuna. As sessões especiais também acontecerão em outras 10 cidades da região cacaueira e uma audiência pública também será realizada para discutir as novas propostas para a instituição.

Produção de alimentos e até de celular pode reduzir reservas de água, alerta ONG

Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

As ações cotidianas para economizar água envolvem, geralmente, hábitos como diminuir o tempo no banho, fechar a torneira na hora de escovar os dentes ou usar um balde em vez da mangueira para lavar o carro ou a calçada. No entanto, grande parte da população desconhece a chamada água invisível, usada em processos como a produção de alimentos e até de celulares, e que pode reduzir ainda mais as reservas hídricas em tempos de crise de abastecimento.

Cada pessoa consome diariamente de 2 mil a 5 mil litros de água invisível usada na produção de alimentos, de acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgados esta semana pelo Instituto Akatu, para marcar o Dia Mundial da Água (22). Para chegar a esse volume, os pesquisadores analisaram toda a cadeia de produção de bens de consumo.

Uma única maçã, por exemplo, consome 125 litros de água para ser produzida, segundo a Waterfootprint, rede multidisciplinar de pesquisadores e empresas que estudam o consumo de água nos processos produtivos. :: LEIA MAIS »

Importância da Biofábrica de Cacau para Bahia é discutida em Ilhéus

Foto divulgação / Caio Bandeira

O papel e a importância socioambiental e econômica do Instituto da Biofábrica de Cacau para a Bahia foram debatidos na sexta-feira (24) no parque fabril, em Ilhéus, em audiência pública presidida pelo coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Marcelino Galo (PT). O evento reuniu a comunidade interessada no fortalecimento da Biofábrica, como técnicos, agrônomos e agricultores, movimentos sociais e secretários de agricultura e meio ambiente das cidades de Cícero Dantas, Santa Bárbara, Cruz das Almas, São Sebastião do Passé e Santa Luzia, com a participação do prefeito Antônio Guilherme, presidente do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica. O instituto da Biofábrica de Cacau trabalha na produção de mudas fundamentais para o fortalecimento da agricultura familiar e também desenvolve projetos de restauração de matas ciliares.

“A Biofábrica tem papel fundamental no reflorestamento, no diálogo e fortalecimento da agricultura familiar, na diversificação agrícola e agroindustriais no estado, além de auxiliar em programas ambientais em diversos ecossistemas encontrados na Bahia. Também é referência na produção de mudas de cacau, fruteiras e essências, sendo responsável pelo abastecimento local e pela introdução de cacaueiros como novo pacote tecnológico em áreas não tradicionais de cacau. É, portanto, fundamental para o desenvolvimento sustentável e inclusivo da Bahia, para o fortalecimento da agricultura familiar, tendo em vista que seu trabalho alcança todo território do nosso estado através de parcerias com prefeituras e entidades rurais”, considerou Galo, que também é vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da Assembleia Legislativa. :: LEIA MAIS »

Brasil lança campanha internacional pelo empoderamento das mulheres rurais

Mais de 14 milhões de mulheres que estão nas lavouras, comunidades quilombolas e indígenas, nas reservas extrativistas são protagonistas da agricultura familiar no Brasil – (Antonio Cruz/Arquivo Agência Brasil)

A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) lança hoje (23) em Brasília a campanha internacional #MulheresRurais, mulheres com direitos. O objetivo é dar visibilidade a essas mulheres e ao trabalho que desempenham para o desenvolvimento socioeconômico e sustentável. “A mulher rural é a protagonista do desenvolvimento sustentável. E é para isso que estamos trabalhando, para que ela reconheça o seu papel”, disse a coordenadora de Políticas para as Mulheres da Sead, Solange da Costa.

Segundo ela, as mulheres têm papel fundamental na agricultura familiar e camponesa do país, mas não têm o reconhecimento merecido. “Sofrem com o preconceito, com a desigualdade de gênero e com tantos outros problemas que herdaram da vida. Ainda há um longo caminho para o equilíbrio de direitos e oportunidades entre homens e mulheres”, disse, acrescentando que é preciso avançar no reconhecimento do papel fundamental das mulheres do campo para a vida de cada um dos brasileiros.

Mais de 14 milhões de mulheres que estão nas lavouras, comunidades quilombolas e indígenas, nas reservas extrativistas são protagonistas da agricultura familiar no Brasil, 45% dos produtos são plantados e colhidos pelas mãos femininas. Segundo o Censo Agropecuário de 2006, 12,68% dos estabelecimentos rurais têm mulheres como responsáveis, bem como 16% dos estabelecimentos da agricultura familiar. :: LEIA MAIS »

Empresas “maquiavam” carne vencida e subornavam fiscais de ministério, diz PF

Ao longo das investigações que culminaram na Operação Carne Fraca, deflagrada hoje (17) de manhã, a Polícia Federal (PF) descobriu que os frigoríficos envolvidos no esquema criminoso “maquiavam” carnes vencidas com ácido ascórbico e as reembalavam para conseguir vendê-las. As empresas, então, subornavam fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para que autorizassem a comercialização do produto sem a devida fiscalização. A carne imprópria para consumo era destinada tanto ao mercado interno quanto à exportação.

“Tudo isso nos mostra que o que interessa a esses grupos corporativos na área alimentícia é, realmente, um mercado independente da saúde pública, independente da coletividade, da quantidade de doenças e da quantidade de situações prejudiciais que isso [a prática criminosa] causa”, afirmou o delegado federal Maurício Moscardi Grillo, em entrevista coletiva no fim da manhã, na sede da PF em Curitiba. Também participaram da coletiva o superintendente da corporação, Rosalvo Ferreira Franco, o delegado Igor Romário de Paula e o auditor da Receita Federal Roberto Leonel de Oliveira Lima.

Algumas das maiores empresas do ramo alimentício do país estão na mira da operação, entre as quais a JBS, dona de marcas como Big Frango e Seara, e a BRF, detentora das marcas Sadia e Perdigão. A Justiça Federal no Paraná (JFPR) determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão das empresas investigadas, que também são alvo de parte dos mandados de prisão preventiva, condução coercitiva e busca e apreensão expedidos pela 14ª Vara Federal de Curitiba. :: LEIA MAIS »

IBGE vai contratar 26,4 mil pessoas para Censo Agropecuário

O ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão autorizou a contratação temporária de 26.440 profissionais para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) fazer o Censo Agropecuário 2017.

As contratações serão feitas por meio de processo seletivo simplificado, e a duração dos contratos será de até um ano, com possibilidade de prorrogação limitada a três anos. A portaria com a autorização foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (17).

Serão 19.013 vagas para o posto de recenseador, 4.946 para agente censitário supervisor, 1.285 para agente censitário municipal, 381 para agente censitário administrativo, 375 para agente censitário regional, 266 para analista censitário e 174 para agente censitário de informática. O valor das remunerações ainda não foi definido.

Bahia aperfeiçoa a Rota Turística do Cacau

Entre 10 de março e 2 de abril, a vila portuguesa de Óbidos volta a transformar-se na capital do chocolate. Este ano, a inspiração é a música, que proporciona uma “melodia de sabores”, de acordo com os organizadores do evento.

O secretário do Turismo do Estado, José Alves, em viagem para a Feira Internacional de Turismo de Lisboa, visitou Óbidos para conhecer um dos mais movimentados festivais de chocolate do mundo. “Estamos estudando as melhores experiências neste setor para fortalecer a Rota do Cacau, na região de Ilhéus”, explicou.

Durante a rápida permanência em Óbidos, José Alves constatou o quanto o chocolate de Ilhéus é prestigiado na Europa. “A Bahia tem tudo para incrementar o roteiro turístico do cacau”, comemorou. “Vamos aprimorá-lo ainda mais e ampliar sua visibilidade, fortalecendo a cadeia do turismo no Sul da Bahia”.

Atividades agrossilvipastoris devem ter licença ambiental do Inema, determina Justiça

O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) deve voltar a realizar o licenciamento ambiental de todas as atividades agrossilvipastoris (pecuária, lavoura e floresta) na Bahia de acordo com a legislação federal, determinou a Justiça ao acatar pedido liminar feito em ação civil pública ajuizada pelos Ministérios Públicos Federal e estadual. Proferida ontem, dia 14, a decisão suspendeu, até o julgamento final da ação, os efeitos dos artigos 8º e 135 do Decreto Estadual 15.682/2014, que alteraram o texto final do Decreto 14.024/2012, e também do Decreto Estadual 16.963/2016.

O juiz federal Ávio Mozar Ferraz de Novaes concordou com os argumentos do MPF e MPE de que as alterações são ilegais, pois afrontam a legislação federal e estadual ao possibilitar a instalação de empreendimentos agrossilvipastoris, em qualquer lugar no estado, “sem licenciamento ambiental e sem a análise de sua viabilidade e de seus impactos pelo órgão ambiental responsável (Inema)”. Na decisão, o juiz destaca trecho de parecer elaborado pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do Meio Ambiente e Urbanismo (Ceama), em que é apontada a substituição da exigência de licenciamento e estudos técnicos por uma regularização ambiental quase automática: “o que chama atenção é que a regularidade ambiental para os citados empreendimentos será concedida eletronicamente”, com requisitos que “se resumem a comprovações, cadastramentos e declarações por parte do interessado”.

A ação civil pública é assinada pelos promotores de Justiça Aline Salvador, Augusto César de Matos, Eduardo Bittencourt Filho, Fábio Fernandes Corrêa, Heline Alves, Luciana Khoury, Pablo Almeida e Thyego Matos, e pelos procuradores da República João Paulo Lordelo, Marcela Fonseca, Pablo Barreto, Paulo Roberto Santiago, Polireda Madaly de Medeiros e Tiago Rabelo.

Governo decreta situação de emergência em 106 municípios afetados por estiagem

O Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (15) publica decreto de situação de emergência por estiagem em mais 106 municípios baianos pelo período de 180 dias. Os baixos índices pluviométricos registrados nos últimos seis anos, que estão afetando quase a totalidade do estado, foram levados em consideração pelo governador Rui Costa para assinar o decreto, fundamentado no Art. 1º da Instrução Normativa Nº 02 do Ministério da Integração Nacional.

A escassez das chuvas tem comprometido a regularidade no fornecimento de água potável e provocado graves prejuízos às atividades produtivas, principalmente à agricultura e à pecuária. Conforme o decreto, que passou pela análise da Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), todos os órgãos estaduais devem participar de ações com o objetivo de buscar soluções para restabelecer a normalidade e preservar o bem-estar da população.

Com os outros 115 municípios que já haviam sido homologados pelo Governo do Estado, a Bahia passa a ter mais da metade dos seus municípios em situação de emergência por estiagem, totalizando 221 cidades. :: LEIA MAIS »

Ministro das Cidades assegura a deputado que obra da Barragem do Rio Colônia é prioridade e ficará pronta até setembro

Deputado Augusto Castro com o ministro Bruno Araújo.

Ao acompanhar a comitiva do Ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), em Salvador, o Deputado Estadual Augusto Castro aproveitou a oportunidade para lembrar o andamento das obras da Barragem do Rio Colônia, em Itapé, que será promotora de abastecimento hídrico para a cidade de Itabuna, Sul da Bahia e conta com apoio de verba federal para sua execução.

Na visita a capital baiana, Bruno Araújo assegurou que continuará priorizando a barragem e se comprometeu com a entrega da obra em setembro deste ano.

“Desde que o governo federal, através do Ministério das Cidades, tomou a frente da liberação de recursos para a obra temos visto se realizar algo que o governo do estado demorou 3 anos para fazer”, provocou o parlamentar. “Itabuna conta com essa obra para solucionar a questão da crise de água na cidade”, disse.

A pedido de Augusto Castro, em Julho passado, o Ministro Bruno Araújo visitou a barragem com sua equipe para conhecimento e levantamento de informações. Hoje, a obra já se encontra em 60% de andamento.

Em Comissão Conjunta na Assembleia Legislativa da Bahia para discutir a Crise Hídrica no Estado, o Secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, agradeceu o empenho do parlamentar pela causa.

Confira o vídeo:

Parque para desenvolvimento do cacau é lançado no Sul da Bahia

Para inovar e fortalecer a cadeira produtiva do cacau e chocolate no sul da Bahia, foi lançado nesta sexta-feira (10) o Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia (PCTSul). Durante o evento no campus da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), localizado na rodovia Ilhéus-Itabuna, foi inaugurado o Centro de Inovação do Cacau, primeira iniciativa do Parque que surge para fortalecer a região cacaueira.

O parque é resultado da união de esforços da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Universidade Federal do Sul da Bahia, Ceplac, IFBA, IFBaiano, secretarias estaduais de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e Desenvolvimento Econômico (SDE). Com foco na criação e inovação da cadeia produtiva do cacau e chocolate no sul da Bahia, a previsão é que a estrutura receba investimentos da ordem de R$ 6,5 milhões até 2019. Foram três anos de estudos para o desenvolvimento do projeto da unidade, que irá auxiliar ainda na qualificação dos ensinos técnico e superior da região. :: LEIA MAIS »

Wagner participa da inauguração de Centro de Inovação do Cacau no Sul da Bahia

Será realizado nesta sexta-feira (10) a partir das 13h30min, no auditório Paulo Souto, na UESC, o lançamento oficial do Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia e a inauguração do Centro de Inovação do Cacau. O evento contará com a presença do secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, que irá representando o governador Rui Costa.

A programação prevê a realização de palestras técnicas e um Momento dos Produtores. Realizado pela CEPLAC, UFSB, CEPEDI, UESC, SINEC, IF-Baiano de Uruçuca, Instituto Arapyaú, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Informação da Bahia e o WORLDWATCH Institute, o evento oficializa o início das atividades do Centro de Inovação do Cacau-CIC, que tem como objetivo construir, consolidar e difundir conhecimento sobre o cacau e o chocolate, com foco na melhora da produtividade, qualidade e rastreabilidade das amêndoas.

Presenças confirmadas: 

  • Jaques Wagner – Secretário de Desenvolvimento Econômico – Representando o Governador Rui Costa
  • Gesil Amarante – Presidente do Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia
  • Jose Nazal Pacheco Soub – Vice-prefeito de Ilhéus
  • Adélia Pinheiro- Reitora da UESC
  • Evandro do Nascimento Silva – Reitor da UEFS
  • Naomar Almeida Filho – Reitor da UFSB
  • Renato Anunciação – Reitor do IFBa
  • Roberto Muniz– Senador
  • Lídice da Mata– Senadora
  • Natura- Guilherme Leal – Sócio-fundador

Governo apresenta parque para desenvolvimento do cacau e chocolate no sul da Bahia

 A apresentação do Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia, que vai funcionar dentro da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), na rodovia Ilhéus-Itabuna, marcou as comemorações dos 60 anos da implantação da Comissão Executiva da Lavoura Cacaueira (Ceplac), nesta segunda-feira (20). O evento foi realizado na sede regional da instituição, com as presenças dos secretários estaduais de Agricultura, Vitor Bonfim; Ciência, Tecnologia e Inovação, José Vivaldo Mendonça; do Meio Ambiente, Geraldo Reis; e de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues.

Articulado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e Uesc, o parque terá como foco a criação e inovação da cadeia produtiva do cacau e chocolate no sul da Bahia. Foram três anos de estudos para o desenvolvimento do projeto da unidade, que irá auxiliar ainda na qualificação dos ensinos técnico e superior da região.

O parque, que tem previsão de receber R$ 6,5 milhões em investimentos até 2019, também possui como metas o desenvolvimento de sistemas de gestão ambiental, produtividade e competitividade do cacau e do chocolate, fomento à produção agroindustrial, agroecologia e agricultura familiar, manejo e conservação dos recursos florestais.

Desenvolvimento regional :: LEIA MAIS »

abril 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia