João Vitor Cerqueira morreu após ser baleado durante ataque em Palmas. Foto Montagem Blog Agravo.

A guerra entre ciganos, originada na Bahia, continua fazendo vítimas fatais, desta vez em Palmas, no Tocantins.

Luciano Ribeiro Dantas, um dos acusados no envolvimento do sequestro e morte no cigano Iranildo Gama Queiroz, no bairro do Iguape, em Ilhéus, foi vítima de um atentado juntamente com quatro de seus familiares quando estavam na porta de uma casa na Arse 71, cidade de Palmas, estado do Tocantins.

Segundo informações policiais, o atentando ocorreu na noite da última terça-feira (26), e João Vitor Cerqueira, que seria filho de Luciano, morreu a caminho do hospital.

Outro familiar de Luciano, identificado como Flávio Meira Dantas passou por procedimento cirúrgico, passa bem e está sendo transferido para o alojamento de internação. Duas outras vítimas seguem em observação e um já recebeu alta hospitalar.

Luciano e seu irmão, Pascoel Ribeiro Dantas, foram presos em setembro de 2017 em Vitória da Conquista, e soltos esse ano. Ambos foram apontados como os mentores do sequestro de Iranildo. (Entenda o caso, clique aqui e leia a matéria completa da época )

Familiares de vítimas de atentado preparavam retaliação e foram presos

Diversos produtos de origem duvidosa foram apreendidos em uma casa na Arse 91 (904 Sul), onde dois homens foram detidos após uma troca de tiros com a Polícia Militar na noite da terça-feira (26). Segundo a Polícia Civil, eles estariam preparando uma vingança contra criminosos que atiraram em uma família de ciganos na Arse 71 (antiga 704 Sul) momentos antes.

Na casa, a polícia encontrou um revólver calibre 38. Além de R$ 4 mil em espécie e cheques com valores superiores a R$ 29 mil. Também foram localizadas correntes, pulseiras, relógios brincos e pingentes de ouro, celulares e bijuterias. Todos os produtos com origem duvidosa, segundo a PM.

A Secretaria de Segurança Pública informou que os casos serão investigados pela Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa de Palmas.