Foto Rodrigo Macedo.

O ritual em homenagem a Iemanjá, em Ilhéus, reuniu populares, muitos simpatizantes e adeptos do candomblé, neste dia 2 de fevereiro. As comemorações aconteceram em dois pontos da cidade: nas praias do Malhado e Nova Brasília e foram prestigiadas pelo prefeito Mário Alexandre. “Esta comemoração, além de integrar o calendário turístico de Ilhéus, merece o nosso respeito e o nosso apoio pelo que representa na história e na cultura da Bahia”, destacou o prefeito.

No bairro Nova Brasília, Mãe Laura há 40 anos comanda a festa. No Malhado, a centenária Mãe Carmosina, lidera a festa todos os anos. ”Esta é uma tradição que não pode morrer”, destacou Mãe Laura, ao som dos atabaques, dos movimentos das rodas de capoeira e diante de uma fila gigantesca de pessoas que doavam oferendas à Rainha do Mar e, em troca, buscavam um banho de alfazema e a proteção do orixá mais popular festejado com festas públicas no Brasil.

Foto de Rodrigo Macedo.

A carioca Isabela Moraes reside há seis meses em Ilhéus. Pela primeira vez, neste dia 2 de fevereiro, pôde presenciar o ritual de homenagem a Iemanjá. “Fascinante esse encontro de alegria e de fé”, resumiu. “São cenas que, de fasto, só conseguimos ver e sentir vivendo na Bahia”, completou.

Iemanjá é o orixá do povo Egba, divindade da fertilidade originalmente associada aos rios e desembocaduras. É a protetora dos pescadores, categoria popular que participa dos festejos. No bairro do Malhado, a alvorada aconteceu as 5 horas da manhã. Às 14 horas aconteceu a saída da procissão do Terreiro Sutão das Matas com a imagem de Iemanjá, em direção à litorânea norte. Em seguida, a entrega de oferendas com procissão marítima realizada por pescadores da Colônia Z-34.

Já no bairro Nova Brasília os festejos aconteceram a partir das 9 da manhã, com saudação e cânticos em louvação aos orixás. O local também registrou a apresentação de samba de roda com o grupo Samba de Treita e, a tarde houve a saída do cortejo com os balaios para o alto mar.