Na noite desta segunda-feira (25), o Conselho Municipal de Saúde aprovou algumas medidas que vão mexer no tabuleiro político ilheense e levar muita gente a se explicar às instituições federais, a exemplo da Polícia Federal e Ministério Público.

Foram aprovados, um pedido de auditoria com encaminhamento ao TCU, DENASUS, CGU e os órgãos acima citados, com irregularidades detectadas, além de uma suposta tentativa para que o conselho de saúde não funcionasse regularmente.

A auditoria deve abranger três governos (Newton Lima, Jabes Ribeiro e Mário Alexandre), entre 2012 a 2017.

Na atual gestão pesa o decreto emergencial e contratos que eram para ser executados em 60 dias, mas continuam vigentes. Além de não ter aprovado e homologado o plano de saúde.