WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
transporte ilegal
Aguarde as próximas enquetes...


Mais de uma tonelada de carne é apreendida em Aurelino Leal

Apreensão foi feita em Aurelino Leal, no sul do estado, após denúncia anônima. Foto: TV Santa Cruz

Mais de uma tonelada de carne foi apreendida na quinta-feira (20), na cidade de Aurelino Leal, no sul da Bahia, após denúncia anônima. O dono do material é um fazendeiro, pego em flagrante transportando a carne, que estava coberta com uma lona, em um carro sem refrigeração. A apreensão foi feita por uma equipe da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada a Secretaria da Agricultura da Bahia (Seagri), que também multou o homem em R$ 20 mil.

Conforme Adab, o fazendeiro confessou que fazia abate ilegal de gado na propriedade dele, situada na zona rural do mesmo município onde a carne foi encontrada. Foram apreendidos ainda quatro carcaças bovinas com vísceras. Segundo a equipe da Adab, são materiais impróprios para consumo humano, porque foram abatidos em locais impróprios, sem procedência.

Ainda conforme a agência, o abate correto deve ser em frigorífico credenciado, com inspeção de médico veterinário para saber a procedência do gado. Na região sul da Bahia, o pecuarista paga para o abate, uma taxa entre R$ 40 e R$ 60 por cada cabeça de gado.

O material apreendido foi incinerado ainda na tarde desta quinta-feita, em Itabuna, cidade do sul do estado. A Adab também abrirá processo administrativo contra o fazendeiro e vai fiscalizar a propriedade.

1 resposta para “Mais de uma tonelada de carne é apreendida em Aurelino Leal”

  • Francisco Pires says:

    Mas “ISTO” que a notícia revela, não se passa somente em Aurelino Leal.
    Façam uma vistoria e fiscalização acirrada, por exemplo, em Ilhéus e outras cidades em seu redor, e facilmente, verificarão que é uma prática comum entre a maior parte dos “fazendeiros” (e alguns açougueiros) locais.
    Um exemplo concreto do que estou afirmando, passa-se com o gado bovino que “pastoreia” nos arruamentos do Bairro de Nossa Senhora das Vitórias e do Bairro de Ilhéus II.
    Pergunto: Alguém acredita que esse gado esteja vacinado? Que seja acompanhado por médico veterinário? Que seja abatido em frigorífico credenciado? E que seja transportado para os açougues, com as devidas normas de transporte (carro com refrigeração), de higiene e acomodação?
    E nós, consumidores finais, que acreditamos nas “falinhas mansas” dos açougueiros, lá vamos comprando a carne no dia-a-dia de nossas vidas e acreditando sempre que… tudo foi devidamente fiscalizado, incluindo a verificação do médico veterinário competente e de tudo o que lhes é exigido por Lei.
    Para abrir os processos administrativos contra supostos “fazendeiros” e/ou contra os proprietários do gado bovino, que acima aponto, é muito fácil, basta deslocarem-se aos Bairros em questão e perguntarem quem são os donos do gado. Quanto ao abate dos mesmos, é só fiscalizarem os açougues e facilmente verificarão a falta da papelada e tudo o mais que lhes é exigido por Lei (os próprios açougueiros, procedem ou pagam a alguém, para o abate dos animais, o qual, muitas vezes, é feito no próprio local de pastoreio).

Deixe seu comentário

abril 2017
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia